Última hora
This content is not available in your region

Chegada de Lagarde ao BCE ensombrada por protestos

Chegada de Lagarde ao BCE ensombrada por protestos
Tamanho do texto Aa Aa

Christine Lagarde, a primeira mulher à frente do Banco Central Europeu (BCE), tomou posse esta sexta-feira como presidente, mas a jornada histórica em Frankfurt foi também ensombrada por protestos à frente da sede do BCE.

"Viemos em solidariedade com o movimento 'Fridays for Future', que exige que a política de compra de ações seja mais transparente e que vá para outra direção, que é estabelecer objetivos climáticos", sublinhou Hajo Kuehn, da Associação para a Taxação das Transações Financeiras para Ajuda ao Cidadão, ATTAC, em protesto junto à sede do BCE.

Ao definir as prioridades para o mandato à frente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde sublinhou que "as alterações climáticas são um dos desafios globais mais importantes com que a sociedade atual se debate" e acrescentou que "qualquer instituição deve ter o risco das alterações climáticas e a proteção do ambiente no centro da sua missão."

Em entrevista a uma estação de rádio lembrou que a iniciativa deveria partir, entre outros, de países da zona euro com possibilidades para dar um passo em frente: "Os países, em particular os que têm folga orçamental, não fizeram o esforço necessário. Penso, naturalmente, nos países que têm folga orçamental neste momento como a Holanda, Alemanha e outras nações no mundo."

O Governo alemão não ficou agradado com a observação e manifestou isso mesmo, pela voz do ministro das Finanças, Olaf Scholz: "Se projetarmos os investimentos do Governo alemão para a próxima década e incluirmos o pacote ambiental rondará cerca de 550 mil milhões de euros a serem investidos. É bastante dinheiro."

Scholz sublinhou que "nenhum Governo alemão investiu tanto" e juntou-se às críticas do presidente do Bundesbank, que se manifestou contra o uso do chamado "quantitative easing" em nome de uma política monetária verde.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.