Última hora

Nova política de imigração em França

Nova política de imigração em França
Tamanho do texto Aa Aa

É oficial: França acaba de se transformar num país mais difícil para os imigrantes. O governo de Emmanuel Macron anuncou novas medidas para fortalecer a posição da administração francesa face à imigração.

"O significado geral da nossa ação é a soberania. Queremos recuperar o controlo da nossa política de imigração. Recuperar o controlo é expressar e assumir escolhas claras em termos de acolhimento e integração."
Edouard Philippe
Primeiro-ministro de França

A nova política inclui requisitos mais rigorosos para a obtenção de vistos e restrições no acesso aos serviços de saúde. Assim como um sistema de cotas que pretende regular a imigração por razões económicas e identificar os setores que precisam de trabalhadores qualificados - com vagas que os estrangeiros possam preencher.

"A filosofia da imigração profissional e do sistema de cotas é responder às necessidades, às lacunas e à escassez de competências que existem no país. Claro que a prioridade é fazer com que os jovens franceses tenham acesso ao emprego, mas se houver necessidades adicionais - trata-se de um complemento para preencher as necessidades."
Muriel Pénicaud
Ministra do Trabalho de França

Para as empresas francesas, existem mais perguntas do que respostas sobre esta nova política de imigração.

França está dividida no que toca à nova posição do governo sobre a imigração. Algumas pessoas acham que as medidas são muito restritivas, outros dizem que o plano de Emanuel Macron não é suficiente. Mas o governo parece pronto a colocar em prática as medidas anunciadas hoje e o primeiro-ministro, Edouard Philippe, disse que algumas podem ser adotadas por decreto até ao fim do ano.
Anelise Borges
Euronews
A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.