Última hora

Legislativas: Socialistas vencem, extrema-direita ganha terreno e incerteza mantém-se

Legislativas: Socialistas vencem, extrema-direita ganha terreno e incerteza mantém-se
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os espanhóis tentaram decidir, este domingo, qual o governo que querem para os próximos quatro anos. Esta é a segunda votação em menos de um ano e teria como objetivo acabar com o bloqueio político que impede a formação de um governo estável, devido à crescente fragmentação do Parlamento e à falta de acordo entre grupos políticos.

Sánchez vence e extrema-direita ganha terreno

Os socialistas do PSOE voltaram a vencer as eleições. Com 99,68% dos votos contados, o partido de Pedro Sánchez venceu as eleições legislativas com 28,03%, mas perdeu três deputados em relação às eleições de abril de 2019. PSOE conseguiu eleger 120 deputados nestas eleições, em relação aos 123 deputados eleitos em abril.

"A democracia convocou-nos e estamos prontos para desbloquear a situação política do país"
Pedro Sánchez
Líder do PSOE

O líder do PSOE disse no discurso que o partido socialista "está pronto para desbloquear a situação política no país". Pedro Sánchez mostrou-se também confiante num governo estável o qual, "a partir de amanhã", começa os trabalhos no parlamento como "um governo socialista".

Uma das frases que Sánchez usou no discurso foi: "A democracia convocou-nos". A frase foi ouvida quase tantas vezes quantas as dos pedidos de silêncio que o líder fez à multidão. "Estão muito participativos", disse Sánchez mais do que uma vez ao público em festa, enquanto pedia para falar.

As eleições de 28 de abril foram vencidas pelo Partido Socialista de Pedro Sánchez, com 123 cadeiras (de um total de 350), insuficientes para formar um governo na ausência de acordo com as outras partes.

REUTERS/Sergio Perez
Pedro SánchezREUTERS/Sergio Perez

PP: Sánchez que comece "a pensar em ir-se"

Em segundo lugar ficou o PP, o Partido Popular, que conseguiu eleger 88 deputados, mais 22 do que em abril.

Teodoro García Egea, o secretário-geral do PP, defendeu que o primeiro-ministro em funções, Pedro Sánchez, deveria começar a "pensar em ir-se embora" se se confirmar a perda de mandatos dos socialistas nas eleições.

Já Pablo Casado, o líder do PP, admitiu, no discurso pós-resultados, que o partido iria "cumprir o seu dever" e esperar que os "socialistas dêm o próximo passo".

Vox, o partido que fez crescer a extrema-direita no parlamento

O Vox tornou-se na terceira força partidária em Espanha. O partido de extrema-direita conseguiu mais do que duplicar o número de deputados, com a eleição de 52 cadeiras no parlamento, em comparação com as 28 cadeiras que tinha conseguido nas últimas eleições.

REUTERS/Susana Vera

A queda do "Unidos Podemos" e do "Ciudadanos"

O partido Unidos Podemos perdeu assentos no parlamento. Conseguiu 26 cadeiras com estes resultados, perdendo assim 16 desde abril. Pablo Iglesias mostrou-se pronto para negociar um governo já "a partir de amanhã".

O Ciudadanos conseguiu eleger 10 cadeiras, perdendo 47 deputados no parlamento. Em reação aos resultados, o secretário-geral do partido Ciudadanos, José Manuel Villegas, disse que espera que os resultados do partido nas eleições legislativas possam contribuir para "solucionar o bloqueio político".

Resultados com 99,68% dos votos contados:

PSOE – 28% (120 deputados)

PP – 20,81% (88 deputados)

Vox – 15,09% (52 deputados)

Unidas Podemos – 9,8% (26 deputados)

Ciudadanos – 6,79% (10 deputados)

#Direto: Emissão especial desde o anúncio dos primeiros resultados:

Afluência às urnas desceu

Às 18h da tarde, a afluência às urnas era de 56,86%, menos 3,88 pontos percentuais em relação às eleições gerais de 28 de abril.

Também às 14h a afluência tinha sido menor do que a das últimas eleições. O valor registado foi de 37,92%, em comparação com os 41,49% registados a 28 de Abril.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.