Autoridades gregas pressionadas com transferência de migrantes

Autoridades gregas pressionadas com transferência de migrantes
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Comissário europeu com a pasta das Migrações sublinhou que o papel da Comissão Europeia é apenas o de prestar apoio

PUBLICIDADE

Cerca de 350 migrantes e refugiados foram transferidos das ilhas gregas de Lesbos e de Chios para o território continental.

À chegada à Grécia, alguns não sabem logo para onde rumam, mas outros são encaminhados para o campo de refugiados de Moria. Aqui, cerca de 15 mil migrantes lutam pela sobrevivência.

"Não sei para onde vou. Disseram-me apenas que iríamos para uma igreja. Que haveria casas para os migrantes lá. Disseram-nos que é um bom lugar", contou, em entrevista à Euronews, Nancy Kidimbadila, uma migrante do Congo.

Rihab Al Sayed, refugiada da Síria, acrescentou: "Fiquei em Moria durante dois meses. Não foi fácil viver lá porque há muitas pessoas e muitos problemas."

Perante a pressão crescente sobre as autoridades gregas, no Parlamento Europeu discute-se a situação tensa que se vive no terreno.

A propósito do campo de refugiados de Moria, o comissário com a pasta das Migrações, Dimitris Avramopoulos, fez questão de lembrar qual o papel da Comissão Europeia: "O papel das autoridades nacionais em gerir a situação no terreno continua a ser de primordial importância. Quero ser muito claro nesse sentido. A Comissão só pode dar apoio. Não pode substituir as autoridades gregas."

Apostolos Staikos, Euronews - O Governo grego não tem outra escolha a não ser transferir os migrantes para território continental. Mas enquanto prosseguem os fluxos migratórios, as autoridades mostram-se incapazes de melhorar as condições de vida e de responder às críticas."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seis mil pessoas protestam em Wolfsburgo contra a extrema-direita

Governo alemão aperta o cerco à extrema-direita

Quase metade dos animais migratórios estão em risco