Última hora

Declarações de Israel Folau chocam a Austrália

Declarações de Israel Folau chocam a Austrália
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mais uma diatribe de Israel Folau a revoltar a Austrália. Desta vez a antiga estrela do rugby afirmou que os mortíferos incêndios florestais e a seca devastadora são "castigos de Deus para o país que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo e o aborto".

O primeiro-ministro, Scott Morrison, não lhe poupou críticas: "Pensei que estes comentários eram terrivelmente insensíveis. Foram comentários terríveis. Ele é um cidadão livre, pode dizer o que quiser, mas isso não significa que não tivesse de levar em consideração a grave ofensa que causaria às pessoas cujas casas arderam e tenho a certeza de que essa não é a visão de muitos cristãos em toda a Austrália e, deixe-me sublinhar, muitos cristãos têm nos pensamentos e nas orações aqueles que estão a sofrer".

As poopulações da mata de New South Wales, afetada pelo incêndio, na cidade de Johns River, acharam os comentários de Folau ofensivos.

O jogador de rugby comparou a legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, na Austrália, há dois anos, e a descriminalização do aborto no estado de Nova Gales do Sul, no mês passado, com o livro de Isaías, que fala sobre a terra a ser devorada depois de as leis divinas serem quebradas e as regras serem mudadas.

Falou reincide, após ter perdido um contrato multimilionário de rugby quando escreveu, em maio, no Facebook, que o inferno esperava "bêbados, homossexuais, adúlteros e outros pecadores". O contrato de quatro anos com a Rugby Australia (RA) e a New South Wales Waratahs foi anulado, tendo o jogador sido considerado culpado de uma violação "de alto nível" do código de conduta da RA.

Os incêndios florestais, que são comuns na Austrália, deflagraram de forma devastadora no início deste ano, durante a Primavera do Sul, e o pior é esperado este Verão, devido a uma seca de três anos, que deixou as florestas e as pastagens secas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.