Última hora

Primeiro duelo Johnson vs Corbyn termina sem verdadeiro vencedor

Primeiro duelo Johnson vs Corbyn termina sem verdadeiro vencedor
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Primeiro debate televisivo entre os lideres dos dois principais partidos políticos britânicos, tendo em vista as eleições legislativas de 12 de dezembro, foi dominado pelo Brexit e terminou sem verdadeiro vencedor.

O primeiro-ministro conservador Boris Johnson e o líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, debateram temas como o Serviço Nacional de Saúde e as alterações climáticas, mas foi o Brexit que dominou.

Johnson defendeu o acordo que conseguiu dizendo que estava "pronto a servir" e tem o que os britânicos desejam.

Corbyn disse que negociaria um novo acordo com a União Europeia e faria um novo referendo.

"Tem tudo o que queríamos do Brexit. O nosso país sai inteiro e perfeito - Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte - juntos. E há uma grande diferença entre o que propomos, concretizar o Brexit dando vazão ao potencial deste país, e o próximo ano - "hesitação e atraso" com outro referendo sobre a União Europeia, onde Jeremy Corbyn não nos consegue dizer de que lado fará campanha," declarou Boris Johnson.

"Dentro de três meses, negociaremos uma opção de saída credível com a União Europeia e, dentro de seis meses, submeteremos isso a referendo para o povo britânico decidir entre essa opção de sair, enquanto protegemos empregos e comércio, e o acordo de Sexta-feira Santa com a Europa ou permanecer como membros de pleno direito na União Europeia. Essa será a escolha apresentada ao povo britânico," afirmou jeremy Corbyn.

Após o debate, as sondagens mostraram que o público ficou dividido sobre quem foi o vencedor: 51% disseram que foi Johnson, enquanto 49% apoiaram Corbyn - um resultado que analistas disseram refletir que pouco mudou. Apesar da proximidade, o líder trabalhista ainda está atrás nas sondagens.

A questão é: será que os eleitores, incluindo os indecisos, serão influenciados por um ou outro campo - por outras palavras, será que algo pode mudar?

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.