Provas "esmagadoras" para a destituição de Trump

Provas "esmagadoras" para a destituição de Trump
Direitos de autor 
De  Joao Duarte Ferreira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Esta uma das conclusões contidas no relatório que poderá abrir a porta à destituição de Donald Trump

PUBLICIDADE

Provas "esmagadoras" de conduta inapropriada do presidente Donald Trump.

Esta a conclusão do relatório de 300 páginas produzido por um comité especializado da Casa Branca.

No centro da questão estariam pressões exercidas por Trump sobre o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, com vista a ganhar vantagens eleitorais para as eleições norte-americanas de 2020.

As acusações teriam como alvo um dos rivais demcoratas de Trump à presidência, o antigo vice-presidente, Joe Biden.

O relatório conclui oficialmente que "Trump teria interferido nos assuntos de um país estrangeiro de forma a aumentar as possibilidades de re-eleição, comprometeu ainda a segurança nacional, ordenando uma campanha sem precedentes para bloquear o Congresso".

O presidente do comité afirma que ainda há mais trabalho a fazer.

"Uma das questões que estamos a investigar é se este esquema começou muito antes do que pensamos. Será que foi utilizado para pressionar o presidente ucraniano anterior, Poroshenko?", afirma Adam Schiff, congressista democrata e presidente do comité de inteligência do Congresso.

O presidente Trump reagiu classificando Schiff como "louco" enquanto os Republicanos classificaram o relatório como uma "vergonha".

"Apesar do presidente da câmara dos representantes ter afirmado que a destituição de Donald Trump requer provas claras, convincentes e bipartidárias, os democratas falham em todas as frentes", adiantou Liz Cheney, republicana e presidente da Conferência Republicana.

O relatório que lança as bases para o afastamento do presidente será agora apreciado pelo comité jurídico do congresso que poderá iniciar um procedimento formal de destituição contra Donald Trump.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Câmara dos Representantes prepara-se para votar destituição de Trump

Gordon Sondland faz testemunho esmagador para Trump

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"