Última hora
This content is not available in your region

Câmara dos Representantes prepara-se para votar destituição de Trump

euronews_icons_loading
Câmara dos Representantes prepara-se para votar destituição de Trump
Direitos de autor  AP Photo/Jon Elswick
Tamanho do texto Aa Aa

Um dia decisivo é o que se avizinha para a Câmara dos Representantes, nos Estados Unidos da América. Os deputados norte-americanos, de maioria Democrata, votam, esta quarta-feira, os dois artigos que visam destituir Donald Trump da presidência.

Primeiro, espera-se um debate, depois a aprovação. Caberá então ao Senado decidir, pela terceira vez na história do país, se leva a cabo o julgamento para a destituição do presidente.

Trump é acusado de obstruir o Congresso e pedir ajuda ao presidente da Ucrânia para trazer à luz do dia informações comprometedoras contra Joe Biden, considerado o principal rival para as eleições de 2020.

No entanto, o presidente nega as acusações e fê-lo saber por papel timbrado da Casa Branca. Numa carta dirigida à porta-voz da Câmara dos Representantes, Donald Trump criticou Nancy Pelosi de encabeçar uma cruzada contra si. Ao todo, apenas seis páginas foram as suficientes para acusar os Democratas de "um abuso de poder sem precedentes e inconstitucional", bem como de serem "reféns da ala extrema-esquerda mais perturbada e radical" do partido, alertando ainda para que o povo americano irá "responsabilizá-los" por esta ação "nas próximas eleições de 2020".

Nunca vi o Partido Republicano tão unido. (...) Acredito que o Senado esteja igualmente unido
Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos da América

O Senado, liderado pelos Republicanos, é o último reduto onde Trump mantém a confiança para pôr um travão ao processo.

Mas se é para haver julgamento, Trump quer que seja emitido em direto e que inclua um rol de testemunhas onde Joe Biden terá de estar presente.

Durante a noite ouviram-se protestos contra e a favor de Trump. Um espelho da sociedade, que, de acordo com as sondagens, permanece dividida quanto à destituição.

Do Senado é esperada uma resposta favorável ao presidente. Resta saber se todo este processo será favorável à reeleição de Donald Trump em 2020.