EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Natal violento em Hong Kong

Natal violento em Hong Kong
Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As forças de intervenção recorreram a gás lacrimogéneo e a gás pimenta para dispersar os manifestantes anti-governo, o que provocou alguns confrontos em vários locais do território. Várias pessoas foram detidas e segundo as autoridades de saúde locais, pelo menos 25 pessoas ficaram feridas.

PUBLICIDADE

Protestos e violência marcaram o Natal em Hong Kong.

A quadra natalícia não impediu os manifestantes anti-governo de protestarem nas ruas e em centros comerciais desta antiga colónia britânica. Pelo menos um estabelecimento foi obrigado a encerrar, esta quarta-feira.

As forças de intervenção recorreram a gás lacrimogéneo e a gás pimenta para dispersar as multidões, o que provocou alguns confrontos em vários locais do território. Várias pessoas foram detidas e segundo as autoridades de saúde locais, pelo menos 25 pessoas ficaram feridas.

As autoridades de Hong Kong acusaram os manifestantes de serem irresponsáveis e de estragarem as festividades de Natal.

Indiferentes às críticas, milhares de manifestantes invadiram os centros comerciais gritando palavras de ordem como, por exemplo, "Liberdade para Hong Kong!"

Os protestos recolhem o apoio de grande parte da população do território. Ao cair da noite, desta quarta-feira, um restaurante serviu jantares gratuitos aos manifestantes.

Os protestos em Hong Kong começaram à mais de meio ano devido a algumas propostas de emendas à lei da extradição. O Governo de Hong Kong cedeu e retirou a proposta, mas os protestos continuaram pois os manifestantes têm mais exigências onde se inclui a demissão da chefe do Governo da Região Administrativa Especial, Carrie Lam.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Manifestantes de Hong Kong escolhem centro comercial para protesto

Comprar peças originais sem ir à falência: bem-vindos à feira de arte acessível de Hong Kong

Putin enaltece comércio bilateral no último dia da sua visita à China