Última hora
This content is not available in your region

"O Consentimento" de Springora ou "A Paixão" segundo Matzneff

euronews_icons_loading
"O Consentimento" de Springora ou "A Paixão" segundo Matzneff
Direitos de autor  video
Tamanho do texto Aa Aa

"O Consentimento" é o livro que está a chocar a sociedade francesa. Uma obra autobiográfica onde a editora e escritora Vanessa Springora conta a sua relação com o escritor Gabriel Matzneff nos anos 80. Poderia ser só uma história de amor, não fora o facto de Vanessa ter apenas 14 anos, e Gabriel 50.

Vanessa descreve a relação como pura manipulação, tanto mais que era público o gosto do escritor por jovens de menos de 16 anos de ambos os sexos, em França e no estrangeiro.

"Há uma coisa que nunca mudou, que é a posição de Matzneff sobre a sua atração pela pedofilia. Ele manteve sempre a mesma linha, sempre falou publicamente disso. Escreveu preto no branco que ia às Filipinas para ter relações com crianças de 11 e 12 anos. Não há nenhuma controvérsia sobre os factos, porque Matzneff escreveu preto no branco o que fez", afirma o sociólogo e especialista da História da Pedofilia, Pierre Verdrager.

O turismo sexual e a pedofilia eram temas amplamente evocados nos livros de Matzneff e mesmo nas declarações que prestava nos médias, como neste programa de Bernard Pivot, onde, perante as suas declarações, só a escritora canadiana Denise Bombardier reagiu.

Face ao conteúdo do livro, o ministério público francês abriu um inquérito e estabeleceu como objetivo encontrar todas as vítimas menores em França e no mundo do agora escritor maldito.

O livro, que surge num contexto internacional de denúncia, tem suscitado as mais virulentas reações contra Matzneff. E nem falta a hipocrisia de muitos que, conhecendo os factos e ouvindo os relatos do autor, assobiaram para o ar durante décadas.

O ministro francês da Cultura, Franck Riester, manifestou o apoio a todas as vítimas que rompem o silêncio.

Os factos contados por Vanessa Springora são, obviamente, atrozes, mas a reflexão tem de ser mais profunda e a pergunta impõe-se: Por onde andaram as elites, a justiça e os medias franceses até agora?

A escritora denuncia particularmente a negligência dos adultos e conta que Matzneff começou a cortejá-la em apresentações públicas e conferências onde ia com a sua mãe. Não nega ter consentido nas vivências que teve com o escritor, mas interroga-se sobre o significado do "consentimento" aos 14 anos.

Gabriel Matzneff, por seu turno, denunciou num comunicado enviado ao jornal "Le Parisien" os "injustos e excessivos" ataques que tem recebido, reivindicando a "beleza do amor" que viveu com Vanessa Springora de quem leu, recentmente num vídeo, cartas em que ela lhe declarava a sua paixão.