Última hora
This content is not available in your region

Protestos na Alemanha e na Austrália contra as alterações climáticas

Protestos na Alemanha e na Austrália contra as alterações climáticas
Direitos de autor
.
Tamanho do texto Aa Aa

Ativistas alemães e australianos protagonizaram diversos protestos na sexta-feira contra a forma como o combate às alterações climáticas está a ser conduzido por privados e governos.

Dortmund foi uma das várias cidades germânicas onde decorreram manifestações contra a participação de uma das maiores empresas industriais do país, a Siemens, no projeto de uma mina de carvão da indiana Adani, em Queensland, na Austrália.

O grupo ativista "Fridays For Future" ("Sextas-feiras Pelo Futuro, em tradução direta), que tem vindo a reclamar por mais ação dos governos na luta contra as alterações climáticas, exige a saída da empresa do projeto devido às emissões de carbono provocadas pelas centrais movidas a carvão.

Após uma reunião com os ativistas, o diretor executivo da Siemens, Joe Kaeser, admitiu rever a posição do maior grupo industrial da Europa no projeto localizado na Austrália e revelou ter inclusive oferecido a uma das maiores figuras do grupo ativista, Luisa Neubauer, um lugar de consultora no departamento energético da empresa.

Neubauer terá deixado claro que o grupo não iria recuar na exigência da Siemens abandonar o projeto.

A Austrália tem sido um país na ordem do dia devido a um dos maiores flagelos da atualidade em consequência das alterações climáticas: os incêndios.

Em diversas cidades australianas como Sydney, Camberra, Hobart, Melbourne ou Adelaide, milhares de pessoas protestaram contra a alegada passividade do Governo liderado pelo primeiro-ministro Scott Morrison na luta contra as alterações climáticas e na forma como está a ser gerida a atual crise de incêndios no país.

A Austrália sofre há meses com uma seca severa amplificada pelo aumento da temperatura média e a escassez de chuva. É também um dos maiores exportadores de carvão de mundo.

Este sábado, dois novos focos de incêndio originaram um novo fogo gigantesco no sudeste australiano. As chamas ganharam força com a ajuda do vento intenso que se fizeram sentir durante a noite na região.

Alguns relâmpagos terão também originado novos focos de incêndio na Nova Gales do Sul e em Vitória, os estados com maior densidade populacional da Austrália.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.