Última hora
This content is not available in your region

Novo primeiro-ministro promete mudanças

euronews_icons_loading
Novo primeiro-ministro promete mudanças
Direitos de autor  Image Rene Rossignaud/AP   -   XRM
Tamanho do texto Aa Aa

Robert Abela é, desde esta segunda-feira, primeiro-ministro de Malta. O filho do antigo presidente maltês, George Abela, foi escolhido, pelo partido Trabalhista para suceder a Joseph Muscat na sua liderança e, consecutivamente, na chefia do governo.

No seu discurso de vitória nunca referiu o assassinato da jornalista Daphne Caruana Galizia mas ele paira sobre a sua cabeça e levou, aliás, à decisão de Muscat, acusado de interferência na investigação à referida morte, de renunciar ao cargo no início de dezembro.

Abela prometeu unidade, manter o que está bem e mudar o que está mal, continuar a fortalecer o Estado de Direito e a boa governação.

Mas a investigação à morte da jornalista lançou o caos no executivo de Malta com governantes a serem ouvidos pela polícia. Com a detenção de um proeminente empresário do país, Jurgen Fenech, acusado de cumplicidade no assassinato, uma bomba colocada no carro de Daphne Caruana Galizia e que a matou. E foi ele que implicou Keith Schembri, ex-chefe de gabinete do primeiro-ministro, no caso.

Abela, advogado de 42 anos, tem uma tarefa difícil pela frente: limpar a imagem negativa dos políticos malteses, em geral, que levou para as ruas milhares de pessoas, em protesto.

A enviada da euronews a Valletta, Laurence Alexandrowicz, explica que "aqueles que reclamam que seja reposta a verdade em Malta esperam que a nomeação de Robert Abela abra uma nova era e que os assassinos de Daphne Caruana Galizia sejam punidos".