"Aulas de gueto" contestadas na Áustria

"Aulas de gueto" contestadas na Áustria
Direitos de autor فرانس برس
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cerca de 6300 crianças, provenientes do Afeganistão, Bangladesh, Hungria, Sérvia, entre outros países, estão, matriculadas em aulas específicas de língua alemã, em toda a Áustria.

PUBLICIDADE

Aulas para imigrantes provocam receios de segregação na Áustria.

Cerca de 6300 crianças, provenientes do Afeganistão, Bangladesh, Hungria, Sérvia, entre outros países, estão, matriculadas em aulas específicas de língua alemã, em toda a Áustria.

A medida foi introduzida em 2018, pelo então Governo de coligação liderado pelo conservador Sebastian Kurz e que contava com o apoio do partido ultranacionalista FPÖ - conhecido pelas posições anti-imigração e xenófobas.

Desde a implementação, estas "aulas de gueto", como foram apelidadas, têm sido contestadas por políticos e professores.

"A parte negativa é que as crianças são retiradas da aula, vêm até aqui e depois voltam para as suas aulas onde ficam perdidas. Elas ficam divididas entre dois grupos e isso não é o ideal, especialmente no início da escola, quando já é difícil para uma criança socializar", refere a professora Katrin Baminger.

As aulas de língua para as crianças imigrantes vão continuar. A Áustria difere, assim, da maioria dos parceiros europeus onde as crianças imigrantes são de imediato integradas no sistema de ensino regular.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rebenta na Áustria o maior escândalo de espionagem das últimas décadas

Milhares de pessoas manifestam-se contra a extrema-direita na Áustria

As razões do sucesso da habitação social na Áustria