Última hora
This content is not available in your region

Auschwitz, 75 anos: Um dos libertadores conta como foi

euronews_icons_loading
Auschwitz, 75 anos: Um dos libertadores conta como foi
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Ivan Martinushkin era um jovem tenente de 21 anos quando participou na libertação do campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau. Hoje com 96 anos, é um dos últimos sobreviventes da operação que pôs fim à mais infame das máquinas de morte montadas pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial.

Homenageado pelo Congresso Judaico da Rússia com um prémio de guardião da memória, a euronews foi ao encontro dele, para que partilhasse connosco a história, com H maiúsculo, que viveu e testemunhou.

Relato na primeira pessoa

Depois de uma batalha intensa, atravessámos uma aldeia e conseguimos penet rar em todo o perímetro do campo, todo rodeado de arame farpado,. Por detrás desse arame havia edifícios. Quando nos aproximámos, começaram a disparar contra nós. Pareceu-nos que os tiros vinham de lá, parecia haver canhões nos edifícios. Pedimos licença para disparar e então o nosso comandante disse-nos que por detrás da cerca havia um campo de prisioneiros e que não disparássemos, para que não houvesse balas perdidas e não fôssemos criar mais problemas àqueles que lá estavam . Foi assim que ficámos a saber que havia ali um campo de prisioneiros.

As pessoas estavam exaustas... não conseguiam sequer sorrir. Só conseguimos perceber, pelos olhos luminosos, que eles sabiam que a liberdade tinha chegado. A libertação tinha chegado e aquele iferno em que viviam tinha acabado.