EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Auschwitz, 75 anos: Um dos libertadores conta como foi

Auschwitz, 75 anos: Um dos libertadores conta como foi
Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Ricardo FigueiraGalina Polonskaya
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A euronews encontrou-se com Ivan Martinushkin, veterano do Exército Vermelho que participou na libertação de Auschwitz-Birkenau.

PUBLICIDADE

Ivan Martinushkin era um jovem tenente de 21 anos quando participou na libertação do campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau. Hoje com 96 anos, é um dos últimos sobreviventes da operação que pôs fim à mais infame das máquinas de morte montadas pelos nazis durante a Segunda Guerra Mundial.

Homenageado pelo Congresso Judaico da Rússia com um prémio de guardião da memória, a euronews foi ao encontro dele, para que partilhasse connosco a história, com H maiúsculo, que viveu e testemunhou.

Relato na primeira pessoa

Depois de uma batalha intensa, atravessámos uma aldeia e conseguimos penet rar em todo o perímetro do campo, todo rodeado de arame farpado,. Por detrás desse arame havia edifícios. Quando nos aproximámos, começaram a disparar contra nós. Pareceu-nos que os tiros vinham de lá, parecia haver canhões nos edifícios. Pedimos licença para disparar e então o nosso comandante disse-nos que por detrás da cerca havia um campo de prisioneiros e que não disparássemos, para que não houvesse balas perdidas e não fôssemos criar mais problemas àqueles que lá estavam . Foi assim que ficámos a saber que havia ali um campo de prisioneiros.

As pessoas estavam exaustas... não conseguiam sequer sorrir. Só conseguimos perceber, pelos olhos luminosos, que eles sabiam que a liberdade tinha chegado. A libertação tinha chegado e aquele iferno em que viviam tinha acabado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O livro de Bela, vítima de Auschwitz

75 anos da libertação de Auschwitz-Bikernau

Putin disse a Lukashenko: "A contra-ofensiva da Ucrânia falhou"