Última hora
This content is not available in your region

"Arte de Banksy": Sem Limites"

euronews_icons_loading
"Arte de Banksy": Sem Limites"
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

"Banksy é a consciência limpa de um mundo injusto". Foi com estas palavras que o pintor húngaro drMáriás inaugurou a exposição "Arte de Banksy: Sem Limites", em Budapeste.

São mais de 70 obras do artista britânico em mostra.

A verdadeira identidade de Banksy mantém-se ainda desconhecida pois o artista de rua prefere manter o anonimato.

"Ele é um artista genuíno. Ele não faz grafites ou usa stencils porque não é bom na pintura. Ele tem grandes telas a óleo. Pode fazer coisas hiper-reais, mas ele tinha de ser rápido enquanto trabalhava em segredo à noite", refere o proprietário do Godot Contemporary Institute, Zoltán Sáfár.

As obras com imagens fortes contra o consumismo excessivo e crítica social têm valido a Banksy a admiração, mas também fortes críticas.

Algumas das peças desta mostra, na capital da Hungria, são expostas pela primeira vez ao público. São provenientes de locais distintos, uma veio de um hotel de Belém, na Cisjordânia, como conta a curadora da exposição Gabriella Illés.

"Se quiser comprar uma peça original de Banksy, e não quer ir a um leilão, há outra possibilidade: tem de ir ao hotel, passar lá várias noites e depois será autorizado a comprar um dos seus itens. Uma veio para Budapeste por essa via".

A exposição "Arte de Banksy": Sem Limites" está no Tesla Loft, em Budapeste, até 30 de abril.