Última hora
This content is not available in your region

Greenpeace Itália descobre 1300 toneladas de lixo italiano na Malásia

euronews_icons_loading
Greenpeace Itália descobre 1300 toneladas de lixo italiano na Malásia
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Uma investigação da Greenpeace itália mostra 1300 toneladas de plástico vindas de itália despejadas ilegalmente na Malásia.

A venda de resíduos dos países mais ricos aos países em desenvolvimento é um problema cada vez menos turvo desde que a China proibiu, em 2018, a importação de resíduos plásticos. Desde então, o problema está nas mãos de outro país. Quem mais lixo exportava para a China: Reino unido, EUA e Japão - começou a fazê-lo para a Malásia. Mas não são só esses países.

No mês passado, o governo malaio decidiu fechar portas e reencaminhar 150 contentores de lixo ilegal para os países de origem. Itália foi um deles.

Giuseppe Uncherese, da Greenpeace Itália, em entrevista à euronews, explica que em Itália, apenas 8% do lixo é reciclado corretamente desde 1950.

euronews
Lixo italiano na Malásiaeuronews

"Está bastante claro que produzimos muito lixo plástico, considerando o facto de que apenas 8% do plástico é reciclado corretamente desde 1950", explica Giuseppe Uncherese.

"Corretamente reciclado", e é aqui que a 'máfia do lixo' entra. Há certos tipos de plásticos que são difíceis de recliclar. Há, portanto, toneladas de lixo que são autênticas dores de cabeça para as grandes indústrias. Exportá-los para países em desenvolvimento é o caminho mais fácil.

Mas, do outro lado, não há como reciclar. Mas sim como acumular a lixeira, muitas vezes tóxica, ao ar livre.