EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Número de casos novos de coronavírus em queda há três dias

Número de casos novos de coronavírus em queda há três dias
Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O número de novos casos de coronavírus está em queda há três dias consecutivos. O anúncio foi feito pela China, numa altura em que se torna evidente que a liderança do país estava ciente da gravidade potencial da situação muito antes de ter soado o alarme.

PUBLICIDADE

O número de novos casos de coronavírus está em queda há três dias consecutivos. O anúncio foi feito pela China, numa altura em que se torna evidente que a liderança do país estava ciente da gravidade potencial da situação muito antes de ter soado o alarme. Os media chineses divulgaram um discurso do presidente chinês em que Xi Jinping disse ter dado instruções para o combate ao coronavírus a 7 de janeiro.

Em termos nacionais, o pico da proporção de casos graves foi de 15,9% a 27 de janeiro. Atualmente, a proporção é de apenas 7.2%, o que significa que os esforços nacionais contra a epidemia deram resultado", realçou Mi Feng, porta-voz da Comissão Nacional de Saúde da China.

As autoridades japonesas anunciaram, este domingo, a deteção de 70 novos casos de contágios pelo COVID-19 no cruzeiro em quarentena no porto de Yokohama, no Japão. Os novos casos fazem subir para 355 o número total de casos de coronavírus a bordo do Diamond Princess. Os Estados Unidos e outros países preparam-se para retirar os seus cidadãos do navio

A Toyota voltou a adiar a reabertura total das suas fábricas na China. Três das quatro fábricas vão reabrir esta segunda-feira, mas vão funcionar apenas a metade da sua capacidade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alemanha anuncia retirada de cidadãos do Diamond Princess

Rússia e China juntas em novo exercício militar

"A China é uma ameaça à nossa segurança", alerta vice-secretário-geral da NATO