EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Despenalização da eutanásia votada no parlamento português

Despenalização da eutanásia votada no parlamento português
Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Deputados votam, esta quinta-feira, cinco projetos de lei para a descriminalização da morte medicamente assistida em Portugal.

PUBLICIDADE

Portugal vota, esta quinta-feira, a despenalização da eutanásia no país.

Apesar de alguma contestação social, vinda sobretudo de movimentos religiosos, o consenso entre a maioria das forças parlamentares e a aceitação por parte do eleitorado dão força a uma antevisão da aprovação da medida.

Em 2018, a antecipação da morte foi recusada pelos deputados portugueses por apenas cinco votos. Hoje, o parlamento terá de votar cinco projetos de lei, na generalidade, para descriminalizar a morte assistida no país.

Dois anos depois do chumbo na Assembleia da República, PS, BE, PAN, PEV e Iniciativa Liberal avançam cada um com uma proposta para submeter ao escrutínio dos parlamentares.

Os projetos de lei aprovados descem à comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos Liberdades e Garantias para o debate na especialidade. É daqui que vai sair o texto final com vista à promulgação do Presidente da República.

Todo o processo pode parecer moroso, mas o governo já disse que pretende ver a nova lei concluída antes do verão para votação final.

A Holanda foi o primeiro Estado europeu a despenalizar a morte medicamente assistida, em 2002. Seguiram-se a Bélgica, a Suíça e o Luxemburgo,

Depois de Espanha ter aprovado, este mês, um projeto de lei sobre a eutanásia. Portugal prepara-se para seguir um caminho semelhante.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Atleta paralímpica Marieke Vervoort morre por eutanásia

Espanhóis exigem lei sobre a eutanásia

Morreu o símbolo do debate sobre a eutanásia em França