Última hora
This content is not available in your region

Surto de covid-19 alastra pela Europa

euronews_icons_loading
Surto de covid-19 alastra pela Europa
Direitos de autor  AP   -   Andrew Medichini
Tamanho do texto Aa Aa

A vida continua em Itália e pouco a pouco, os habitantes de Milão começam a habituar-se à ameaça crescente da nova estirpe do coronavírus. O problema, no entanto, não tem fronteiras e no dia em que o presidente francês, Emmanuel Macron, visitou Giuseppe Conte para a 35ª cimeira franco-italiana, recebeu a notícia de que no seu país, o número de casos confirmados mais do que tinha duplicado. Ao fim da tarde eram 38 infeções por covid-19 identificadas em França contra 18 no dia anterior.

As autoridades, no entanto, apelam à calma e sublinham que entre os casos identificados, doze estavam totalmente recuperados. Para o primeiro-ministro, Édouard Philippe, qualquer alarmismo em relação ao surto é contraproducente:

"A melhor forma de se proteger não é ir a correr para as farmácias para comprar máscaras. Isso é fortemente desaconselhável. Como acontece com as crises de combustível, é este tipo de comportamento que dá origem à escassez."

Em Itália, a Organização Mundial de Saúde já se veio queixar do alarme causado devido à comunicação pouco rigorosa dos transalpinos. Walter Ricciardi, da Organização Mundial de Saúde, assume que "nos próximos dias teremos epidemias também nos outros países, mas os outros países são muito mais rigorosos. A Alemanha fez menos de mil testes, Itália mais de dez mil. França fez ainda menos, mas eles só confirmam a informação quando têm a certeza, não quando têm suspeitas ou mesmo antes de conhecer os resultados, como acho que aconteceu em Itália nos últimos dias."

Em Espanha, dos cerca de mil turistas que estavam confinados a uma unidade hoteleira em Tenerife, 130 já puderam abandonar o estabelecimento. A maioria, no entanto, continua exilada.

O foco não se limita ao sul da Europa, na Suécia têm vindo a reforçar o número de testes efetuados e esta quinta-feira o número de infeções identificadas subiu de dois para sete.

Pode acompanhar aqui a evolução dos números a nível mundial.