Última hora
This content is not available in your region

"Ao início da manhã começou a ser atirado gás lacrimogéneo"

euronews_icons_loading
Giannis Karagiorgas, a Euronews na linha de fronteira entre a Grécia e a Turquia
Giannis Karagiorgas, a Euronews na linha de fronteira entre a Grécia e a Turquia   -   Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

A confusão voltou a instalar-se na fronteira terrestre entre a Grécia e a Turquia, em Evros, devido à pressão dos migrantes à espera de entrarem na Europa.

No local, a assistir a tudo, esteve o enviado especial da Euronews, atento também às justificações das autoridades de ambos os lados da fronteira para tentar esclarecer os motivos deste agravar da repressão contra os migrantes.

Ao início da manhã, aqui na linha fronteiriça de Kastanies, começou a ser atirado gás lacrimogéneo do lado turco. A polícia grega foi de imediato reforçada e recorreu igualmente a gás lacrimógeneo, mas também a canhões de água, enquanto tentava perceber o que se passava do outro lado.

"De acordo com as autoridades gregas, não houve qualquer tentativa dos migrantes de invadir a Grécia e o gás foi utilizado em primeiro lugar pelos turcos.
Ioannis Karagiorgas
Euronews, em Evros

O uso de meios de repressão pelas forças de segurança de ambos os lados deixou uma atmosfera irrespirável nesta linha de fronteira.

As autoridades turcas justificaram o reforço de agentes na fronteira e o uso dos meios de repressão como forma de evacuar um acampamento de migrantes improvisado no lado turco.