Última hora
This content is not available in your region

Erdogan pede à Grécia para abrir as fronteiras

euronews_icons_loading
Erdogan pede à Grécia para abrir as fronteiras
Direitos de autor  AP Photo/Emrah Gurel
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente turco pediu à Grécia para abrir as fronteira e “deixar os refugiados seguir para outros países da Europa”. O apelo foi feito este domingo, na véspera do encontro em Bruxelas entre Recep Tayyip Erdogan e responsáveis da União Europeia.

Num discurso transmitido pela televisão, Erdogan desafiou Atenas a abrir as portas e a libertar-se “do fardo dos migrantes”, afirmando que não há razão para incómodo já que as pessoas vão seguir para outros países. O presidente turco acusou ainda a Grécia de intimidar os refugiados.

A violência e os confrontos aumentaram na fronteira entre a Turquia e a Grécia, depois de Erdogan anunciar que não vai impedir que migrantes e refugiados entrem nos países da União Europeia.

Segundo as autoridades Atenas, na última semana, mais de 1700 pessoas chegaram às costas das ilhas gregas e juntaram-se às 38000 que vivem em campos de refugiados sobrelotados e com condições precárias. As forças de segurança gregas dizem ter impedido cerca de 39 mil pessoas de atravessar a fronteira.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) sublinha que é preciso levar a cabo "uma ação urgente de auxílio a quase um milhão de civis deslocados em Idlib”. O ACNUR defende o apoio contínuo a países como a Grécia, cuja fronteira dá acesso à União Europeia, e à Turquia, que acolhe milhões de refugiados.

Acordo assinado em 2016O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR)

O acordo assinado pela Turquia e pela União Europeia, em 2016, prevê que os migrantes permaneçam em território turco em troca de pagamentos a Ancara.

O governo turco que diz agora que o dinheiro não chega para controlar a situação dos cerca de quatro milhões de migrantes e refugiados que chegaram principalmente da Síria.