Última hora
This content is not available in your region

Coronavírus: Itália regista 168 mortos nas últimas 24 horas

euronews_icons_loading
APTOPIX Italy Virus Outbreak
APTOPIX Italy Virus Outbreak   -   Direitos de autor  Andrew Medichini/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Os mortos pelo novo coronavírus em Itália são já 631, 168 registados em 24 horas, um recorde de fatalidades pelo vírus num dia, segundo as autoridades.

As autoridades italianas registaram 8.514 casos positivos de vírus, tendo 1.004 sido já curadas, o que perfaz um total de 10.149 infetados, desde o início da crise em Itália, fazendo deste país o mais afetado pelo surto na Europa.

Todas as 168 mortes nas últimas 24 horas foram registadas na Lombardia, no norte, onde 468 pessoas já morreram vítimas do novo coronavírus.

Itália tornou-se no primeiro país a seguir à China com mais vítimas mortais e com mais infetados pelo novo vírus. Todo o território está abrangido por medidas especiais de combate. O governo mandou encerrar piscinas, escolas, universidades, igrejas, proibiu deslocações e tudo o que possa promover o contacto entre pessoas.

"Chegou a hora de fazermos aquilo que nos disseram para fazer. Ponto final.", conta um italiano à euronews.

O governo italiano diz que "não há tempo" e pede às pessoas que aceitem a mudança drástica de vida, para o bem comum, pelo menos até 3 de abril.

Quase 120 mil infetados em todo o mundo desde o início do surto

O número de pessoas infetadas pelo novo coronavírus em todo o mundo aumentou para 118,770, das quais morreram 4,269, segundo um balanço feito pela agência noticiosa France Presse (AFP), com dados atualizados às 21:00, hora de Paris. .

Citando fontes oficiais, a AFP diz que, desde que o surto de Covid-19 (a doença provocada pelo novo coronavírus) eclodiu em dezembro de 2019 na China, foram registadas 4.084 novas contaminações e 287 novas mortes em 107 países e territórios desde o balanço efetuado às 17:00 de segunda-feira.

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) teve 80.754 casos, incluindo 3.136 mortes. Entre as 17:00 de segunda-feira e as 17:00 de hoje foram anunciadas 19 novas infeções e 17 novas mortes no país.

Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 10.149 casos (977 novos) e 631 mortes; o Irão, com 8.042 casos (881 novos) e 291 mortes; a Coreia do Sul, com 7.513 casos (131 novos) e 54 mortes e a Espanha, com 1.622 casos (623 novos) e 35 óbitos.

Desde as 17:00 de segunda-feira, a China, Itália, o Irão, a Coreia do Sul, Espanha, os Estados Unidos, França, Reino Unido, Países Baixos, Suíça, Marrocos, Líbano e Canadá registaram novas mortes.

O Burkina Faso, o Panamá, a República Democrática do Congo, a Mongólia e Chipre do Norte (república turca autoproclamada e não reconhecida pela comunidade internacional) anunciaram hoje os primeiros casos.

Mais de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países e mais de 63 mil recuperaram.

Portugal regista 41 casos confirmados de infeção, segundo a DGS. A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada. Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do País, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

#LIVE: Ver números em direto