Última hora
This content is not available in your region

Europa aumenta medidas de combate ao Covid-19

euronews_icons_loading
Europa aumenta medidas de combate ao Covid-19
Direitos de autor  Thibault Camus/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Os cenários de ruas praticamente desertas são imagens de uma nova realidade em Itália. Passada a fronteira das mil mortes, por causa do Covid-19, o país europeu mais afetado pelo novo coronavírus vive em quarentena. Todos os espaços públicos encerram às 18h, fora de casa, o metro de distância entre pessoas é obrigatório.

Em Espanha, estão também a ser aplicadas medidas de contenção, como o encerramento das escolas e universidades em todo o país. Com dezenas de casos de infeção registados na Catalunha, cerca de 70 mil habitantes estão confinados à localidade de residência. O primeiro-ministro anunciou ainda a disponibilização de verbas adicionais para combater a doença nas regiões autónomas.

"Vamos transferir 2 mil e 800 milhões de euros para as regiões autónomas, de forma a que possam reencaminhar os recursos que considerem necessários para os serviços de saúde no combate ao Coronavírus. É uma quantia que vai permitir a estas regiões reforçar os serviços sanitários, onde a doença está a causar um aumento de tensões", anunciou Pedro Sánchez.

Também na vizinha França as escolas vão permanecer de portas fechadas. Num discurso dirigido à nação, o presidente Emmanuel Macron anunciou, contudo, que as fronteiras continuam abertas e as eleições municipais de domingo são para manter.

"Esta epidemia, que afeta todos os continentes e atinge todos os países da Europa é a mais grave crise sanitária que França conheceu no último século. Mas é importante, neste momento, seguindo os conselhos científicos, tal como estamos a fazer, assegurar a continuidade da nossa vida democrática e das nossas instituições", proferiu.

Na Alemanha, dos mais de 2700 casos de infeção registados resultaram seis mortes. No entanto, Angela Merkel já alertou para a probabilidade de o vírus vir a infetar 70% da população.

Com alguns dos países da União Europeia a fechar as fronteiras, a proibição de grandes ajuntamentos e o encerramento das escolas continuam a ser as medidas de prevenção mais comuns. Na Bélgica, os espaços públicos estão fechados e todos os eventos foram cancelados.

Em Portugal, para além do fecho dos estabelecimentos de ensino, a partir da próxima segunda-feira, o governo decidiu o encerrar as discotecas, proibir o desembarque de navios de cruzeiro, limitar a frequência de espaços comerciais e serviços públicos e restringir as visitas a lares.