Última hora
This content is not available in your region

Espanha em estado de emergência

euronews_icons_loading
Espanha em estado de emergência
Direitos de autor  Joan Mateu/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

O Governo espanhol prepara-se para limitar ao máximo os movimentos, numa tentativa de travar a progressão do coronavírus.

O Conselho de Ministros está reunido e, de acordo com o El País e a Cadena Ser, deverá ser permitida a circulação apenas para compra de alimentos, produtos farmacêuticos e de primeira necessidade, assistência a centros de saúde, deslocação ao local de trabalho e regresso ao local de residência, assistência a menores ou idosos e pessoas dependentes e ida a instituições financeiras. As restrições devem entrar em vigor às 8h de segunda-feira.

Já na sexta-feira, o presidente do Governo espanhol tinha anunciado a declaração de estado de alerta.

Só em Madrid há 2940 casos. Em todo o país, o número de mortes devido ao novo coronavírus duplicou nas últimas 24 horas, chegando a 139 e mais de 6 mil infetados.

Em entrevista à euronews, a ministra espanhola dos Negócios Estrangeiros afirmou que o Governo espera que estas medidas sejam eficazes. Arancha González Laya sublinhou que nesta altura, o país deve "evitar cair em medidas que, por serem rápidas, não pensam nos efeitos colaterais. Estamos ver isso com medidas que outros países estão a adotar".

A governante afirmou que "essa não é apenas uma tarefa do Governo. É, principalmente, a tarefa do Governo, com o presidente na liderança, mas é também a tarefa da oposição em Espanha, é a tarefa de todos e de cada cidadão do país."

Arancha González Laya frisou que se tordos remarem na mesma direção o país poderá eliminar este vírus o mais depressa possível.

Apesar das medidas adotadas pelo Governo Central, o Governo Regional da Catalunha, liderado por Quim Torra, anunciou o isolamento total da região. O presidente da Generalitat pediu a Madrid que o ajudem a bloquear o acesso aéreo, ferroviário e marítimo de modo a garantir a quarentena da região.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.