Covid-19: Portugal registou nove mortes em 24 horas

Covid-19: hospitais de campanha
Covid-19: hospitais de campanha Direitos de autor CARLOS BARROSO/ 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
De  Euronews com Lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

De acordo com os dados da DGS, há mais 460 casos (22,3%) confirmados de infeção com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, do que no domingo.

PUBLICIDADE

Portugal conta com 23 mortes associadas ao vírus da covid-19 confirmadas, mais nove do que no domingo. De acordo com a informação atualizada da Direção-Geral da Saúde de Portugal, das vítimas mortais, nove ocorreram na região Norte, cinco na região Centro, oito na região de Lisboa e Vale do Tejo e uma no Algarve. Em todo o país existem 2.060 pessoas infetadas.

Das 2.060 pessoas infetadas a grande maioria (1.859) está a recuperar em casa, 201 estão internadas, 47 das quais em Unidades de Cuidados Intensivos.

Entretanto, em Lisboa abriram dois centros de rastreio com capacidade para fazer um total de cerca de 500 testes por dia a utentes com prescrição médica, nas freguesias do Lumiar e Parque das Nações, com capacidade para fazer um total de cerca de 500 testes por dia a utentes com prescrição médica.

Em declarações aos jornalistas, o presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco, salientou que o acesso a estes equipamentos exige prescrição médica, não estando abertos a qualquer pessoa que queira fazer o teste "por sua iniciativa ou por sua livre vontade".

Luís Pisco falava à entrada do centro de rastreio instalado na Escola da Quinta dos Frades, no Lumiar, no âmbito da abertura dos dois primeiros equipamentos de rastreio à covid-19 no concelho de Lisboa, acompanhado pelo diretor do espaço e pelo presidente da câmara, Fernando Medina (PS).

O presidente da ARSLVT explicou que existem 35 locais em estabelecimentos de saúde em toda a Região de Lisboa e Vale do Tejo, para os quais as pessoas com sintomas como tosse, febre e dificuldades respiratórias se podem dirigir, antes de um eventual reencaminhamento para os centros de rastreio.

Portugal segue assim Ordens dadas no início da semana passada pela Organização Mundial de Saúde, ou seja: "Testar, testar, testar”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reino Unido quer proibir venda de "vapes" descartáveis

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo

Cabo Verde oficialmente livre de malária