Última hora
This content is not available in your region

Páscoa agridoce para os chocolateiros belgas com perdas no negócio

euronews_icons_loading
Páscoa agridoce para os chocolateiros belgas com perdas no negócio
Direitos de autor  FRANCOIS NASCIMBENI/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

As fábricas de chocolate tornaram-se "negócios essenciais" durante a Páscoa - segundo as autoridades sanitárias da Bélgica . Esta declaração permite que os chocolateiros continuem a vender ovos de chocolate e coelhinhos da Páscoa durante as medidas restritivas devido ao coronavírus.

A Páscoa, normalmente representa 15 a 25% dos lucros anuais (da indústria de chocolate). Mas este ano essa percentagem será, provavelmente, muito menor.
Guy Gallet
Associação Real Belga do Chocolate

Segundo a associação Choprabisco, que reúne 170 profissionais do setor, na Bélgica, fabricantes de chocolate belgas doaram mais de 13 milhões de ovos, coelhinhos de chocolate, biscoitos e outros produtos de confeitaria a hospitais e instituições de saúde.

Os coelhinhos da Páscoa usam máscaras de chocolate branco e prestam homenagem aos profissionais da saúde.