Páscoa agridoce para os chocolateiros belgas com perdas no negócio

Access to the comments Comentários
De  Patricia Tavares
Páscoa agridoce para os chocolateiros belgas com perdas no negócio
Direitos de autor  FRANCOIS NASCIMBENI/AFP

As fábricas de chocolate tornaram-se "negócios essenciais" durante a Páscoa - segundo as autoridades sanitárias da Bélgica . Esta declaração permite que os chocolateiros continuem a vender ovos de chocolate e coelhinhos da Páscoa durante as medidas restritivas devido ao coronavírus.

A Páscoa, normalmente representa 15 a 25% dos lucros anuais (da indústria de chocolate). Mas este ano essa percentagem será, provavelmente, muito menor.
Guy Gallet
Associação Real Belga do Chocolate

Segundo a associação Choprabisco, que reúne 170 profissionais do setor, na Bélgica, fabricantes de chocolate belgas doaram mais de 13 milhões de ovos, coelhinhos de chocolate, biscoitos e outros produtos de confeitaria a hospitais e instituições de saúde.

Os coelhinhos da Páscoa usam máscaras de chocolate branco e prestam homenagem aos profissionais da saúde.