EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Páscoa agridoce para os chocolateiros belgas com perdas no negócio

Páscoa agridoce para os chocolateiros belgas com perdas no negócio
Direitos de autor FRANCOIS NASCIMBENI/AFP
Direitos de autor FRANCOIS NASCIMBENI/AFP
De  Patricia Tavares
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Fabricantes decidem doar milhões de ovos aos hospitais. Os coelhinhos da Páscoa usam máscaras de chocolate branco e prestam homenagem aos profissionais da saúde.

PUBLICIDADE

As fábricas de chocolate tornaram-se "negócios essenciais" durante a Páscoa - segundo as autoridades sanitárias da Bélgica . Esta declaração permite que os chocolateiros continuem a vender ovos de chocolate e coelhinhos da Páscoa durante as medidas restritivas devido ao coronavírus.

A Páscoa, normalmente representa 15 a 25% dos lucros anuais (da indústria de chocolate). Mas este ano essa percentagem será, provavelmente, muito menor.
Guy Gallet
Associação Real Belga do Chocolate

Segundo a associação Choprabisco, que reúne 170 profissionais do setor, na Bélgica, fabricantes de chocolate belgas doaram mais de 13 milhões de ovos, coelhinhos de chocolate, biscoitos e outros produtos de confeitaria a hospitais e instituições de saúde.

Os coelhinhos da Páscoa usam máscaras de chocolate branco e prestam homenagem aos profissionais da saúde.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pierre Marcolini é o "melhor chef pasteleiro do mundo em 2020"

Paris celebra a Páscoa com um toque olímpico

Reino Unido: lojas de chocolate com dificuldade em acompanhar subida de preço do cacau