Última hora
This content is not available in your region

EUA na "escalada" da pandemia do coronavírus

euronews_icons_loading
EUA na "escalada" da pandemia do coronavírus
Direitos de autor  Wong Maye-E/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos avançam na escalada dramática da pandemia e ultrapassaram os 500 mil casos e 22 mil mortes pela Covid-19. O hospital Mt. Sinai Queens de Nova Iorque publicou um vídeo para mostrar a gravidade nos hospitais.

"Vejo doentes jovens, idosos, de todas as faixas etárias que estão incrivelmente doentes... é possível escutar agora, enquanto caminho nas salas dos doentes e nos corredores, o som do oxigénio", explica Erik Blutinger, médico no Monte Sinai Queens.

Doentes e profissionais numa caminhada dura no combate pela sobrevivência de milhares de pessoas.

Um dos principais peritos norte-americanos em doenças infetocontagiosas, Anthony Fauci, declarou que "uma reação mais rápida, por parte das autoridades, na mitigação, teria salvado inúmeras vidas" e acrescentou que ainda não se pode ter uma previsão de quando os cidadãos da maior economia do mundo começam gradualmente a regressar à normalidade. O presidente Donald Trump pretendia já na Páscoa, Anthony Fauci revelou que "apenas no final do mês se pode adiantar uma data".

Entretanto, como em tantos outros países, a Páscoa foi passada em confinamento com a possibilidade de se assistir a serviços religiosos em modo "drive-in".

Em Nova Iorque, este ano a Catedral de Saint Patrick, esteve praticamente vazia. O sinal de que a "besta" anda à solta e nem mesmo nas igrejas é seguro.