Última hora
This content is not available in your region

Superministério angolano vai gerir orçamento mais limitado

Swearing in ceremony of the new Culture, Tourism and Environment, Adjany Costa
Swearing in ceremony of the new Culture, Tourism and Environment, Adjany Costa   -   Direitos de autor  AMPE ROGÉRIO/ 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Tamanho do texto Aa Aa

(Lusa) "O orçamento vai ser único. Com a situação que estamos a viver vai haver um corte ainda maior, mas vai haver negociações e vamos ver o que se pode fazer”, disse Adjany Costa aos jornalistas após a cerimónia formal de passagem da pasta da ministra do Turismo cessante, Ângela Bragança para a nova ministra da Cultura, Turismo e Ambiente.

“São três setores gigantes, universais, que agora vão trabalhar juntos, por isso, o orçamento vai ser reduzido”, declarou.

As prioridades serão, assim, fazer uma “reestruturação orgânica” e “identificar os objetivos comuns. Como o orçamento vai ser único e vai ser limitado, há que criar um mecanismo para que os três setores se desenvolvam em simultâneo e em equilíbrio”, sublinhou.

Na área do Turismo, Adjany Costa defendeu que o turismo interno é o primeiro passo para “estabelecer uma indústria robusta e depois criar um mercado externo”, salientando que “como angolana, gostaríamos todos de conhecer mais o nosso país e nós somos a chave para isto”.

Adjany Costa vai trabalhar com as suas antecessoras nas pastas do Ambiente e Cultura, Paula Coelho e Maria da Piedade de Jesus, que são as novas secretárias de Estado das respetivas áreas.

Quanto a Ângela Bragança, mostrou-se disponível para colaborar com a sua sucessora para “tornar o turismo mais forte

“Não me considero uma pedra fora (…) A Ângela de sempre está convosco para trabalhar”, afirmou.

Adjany Costa adiantou ainda que terá um secretário de Estado para o Turismo, mas ainda não foi nomeado.

Ao assumir as pastas, a nova ministra declarou o seu compromisso e empenho no cargo, esperando poder contar “com as enciclopédias vivas” que estiveram no setor anteriormente e combinar a experiência “com o espírito inovador da juventude angolana” para criar “um patamar de excelência para o Turismo baseado na integridade e proteção dos ecossistemas”.