Última hora
This content is not available in your region

Londres prolonga confinamento, Bruxelas pede desculpa a Itália

euronews_icons_loading
Virus Outbreak Britain
Virus Outbreak Britain   -   Direitos de autor  Andrew Parsons/AP
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia de covid-19 continua a fazer estragos por esse mundo fora e só no Reino Unido custou a vida a 861 pessoas nas últimas 24 horas. O total de mortes no país aproxima-se das 14 mil e o período de confinamento é para durar.

O anúncio foi feito pelo chefe da diplomacia britânica. De acordo com Dominic Raab, como a taxa de infeção ainda não baixou, o governo decidiu seguir as recomendações recebidas e prolongar as medidas de confinamento pelo menos mais três semanas, uma vez que qualquer alteração nestas medidas iria resultar num aumento da propagação do vírus.

O Reino Unido ultrapassou esta quinta-feira a barreira dos cem mil casos confirmados. Também em Itália se ultrapassou um triste marco, nas últimas 24 horas morreram 525 pessoas e o número de óbitos é já superior a 22 mil, um número só ultrapassado pelos Estados Unidos.

A grave situação vivida em Itália, cujo primeiro caso foi registado há mais de dois meses, levou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, a fazer um pedido de desculpas ao país pela falta de ajuda de Bruxelas no início da epidemia.

Em França, a covid-19 custou 753 vidas esta quinta-feira. Desde o início do surto já morreram perto de 18 mil pessoas no país. Ainda assim voltou a diminuir o número de doentes internados e nos cuidados intensivos, pelo oitavo dia consecutivo o número de altas é superior ao número de novos internamentos.

O dia ficou ainda marcado pelo regresso a casa do porta-aviões Charles de Gaulle com um terço da tripulação infetada.