Última hora
This content is not available in your region

Lyon prepara desconfinamento da cidade

euronews_icons_loading
Lyon prepara desconfinamento da cidade
Direitos de autor  Euronews screen grab
Tamanho do texto Aa Aa

Como preparar uma cidade de 1,4 milhões de habitantes para o desconfinamento sem desencadear uma nova onda de contaminações? Essa é a questão com que a cidade de Lyon, em França, se está a deparar.

Por enquanto, as ruas permanecem quase desertas e as esplanadas vazias. Não há multidões nas ruas, nem pressa para apanhar o metro. Mas, em quinze dias, os transportes podem voltar estar lotados, com uma grande diferença: o uso de máscaras faciais pode vir a tornar-se obrigatório, ou, pelo menos, altamente recomendado. Algumas pessoas já se habituaram à ideia.

No metro, uma passageira diz achar o uso de máscara "absolutamente normal", mas duvida de que toda a gente consiga arranjar uma.

Também há quem duvide se todos vão respeitar um eventual uso obrigatório.

Outra passageira afirma estar a trabalhar desde o início do confinamento e garante que "uma em cada duas pessoas" não está a usar máscara.

Duas semanas depois do início da quarentena, a rede de transportes públicos não esperou instruções do poder central. Em todas as estações, vão ser instalados dispensadores de máscaras, com 10 mil pares e frascos de gel hidroalcoólico. A rede está também a testar esta máquina sem contacto para desinfeção das mãos. Em breve, 10 aparelhos podem vir a ser instalados. No entanto, manter uma distância de pelo menos um metro num transporte lotado vai ser certamente complicado.

A presidente do sindicato dos transportes da região revela à Euronews que vai haver uma reconfiguração dos sinais, bem como uma reorganização dos fluxos nas paragens, com entradas e saídas diferentes e agentes para dar informação. No entanto, alerta ser impossível "haver um agente em cada autocarro".

Com quase dois milhões de viagens realizadas todos os dias na rede pública de Lyon, ainda não é certo que haja máscaras suficientes para todos nos transportes. Outra solução pode passar por facilitar o uso de veículos alternativos.

Lyon foi uma das primeiras cidades europeias a disponibilizar o aluguer de bicicletas. Uma oferta que a cidade quer promover.

"Vamos fazer o que chamamos " urbanismo tático", através de ciclovias, mesmo que temporárias, que vão substituir uma das faixas dos carros; em alguns casos, também vamos ampliar os passeios para facilitar a circulação dos pedestres", revela à Euronews o presidente da metrópole de Lyon, David Kimelfeld.

A prevenção não vai, contudo, ser feita apenas nos transportes. A metrópole de Lyon está igualmente a apostar na prevenção e encomendou dois milhões de máscaras. E as farmácias também já podem vendê-las ao público.

A cidade está também a contar com a continuação do teletrabalho e um retorno progressivo às aulas, para impedir a aglomeração de pessoas e lentamente voltar à normalidade do dia-a-dia.