Última hora
This content is not available in your region

Moçambique avança com descentralização de testes para a covid-19

Mozambique Inauguration
Mozambique Inauguration   -   Direitos de autor  Feraht Momade/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Moçambique vai avançar com a descentralização de testes para a deteção da covid-19 no país.

A garantia foi deixada esta segunda-feira pelo Ministério da Saúde de Moçambique, que espera alcançar mais resultados em todo o território, uma vez atualmente são feitos apenas na província da capital Maputo.

"Temos o plano em curso de descentralização da testagem, mas neste momento a principal limitação é a indisponibilidade dos testes aprovados pela Organização Mundial da Saúde, devido à concorrência", declarou Sérgio Chicumbe, diretor para Área de Inquérito e Observação de Saúde.

O dirigente falava na atualização de dados sobre a covid-19 em Moçambique.

Atualmente, os testes são feitos no Laboratório de Referência do Instituto Nacional de Saúde, situado em Marracuene, nos arredores da cidade de Maputo, e são necessárias, pelo menos, 24 horas para obtenção de resultados.

Com um total de 18 mil testes, o laboratório tem a capacidade de realizar 600 por dia, embora a "dinâmica da qualidade exigida na testagem limite o trabalho dos técnicos do Ministério da Saúde", segundo Sérgio Chicumbe.

"Nós estamos a falar de amostras que são recolhidas em diferentes pontos do país e seguem para Maputo. Há condições de transporte específicas neste processo e isto tudo limita o trabalho. Por isso estamos com o plano de descentralizar a testagem", declarou.

No total, em Moçambique foram testados 2.598 casos suspeitos, dos quais 132 nas últimas 24 horas.

Todos os testes das últimas 24 horas revelaram-se negativos para o novo coronavírus, mantendo o número total de casos registados em 80, dos quais 72 de transmissão local e 8 importados. Não há registo de vítimas mortais e 19 pessoas são dadas pelas autoridades como recuperadas.

Moçambique vive em estado de emergência desde 01 de abril e até final de maio, com espaços de diversão e lazer encerrados, proibição de todo o tipo de eventos e de aglomerações, recomendando-se a toda a população que fique em casa, se não tiver motivos de trabalho ou outros essenciais para tratar.

Durante o mesmo período, há limitação de lotação nos transportes coletivos com obrigatoriedade do uso de máscaras faciais, as escolas estão encerradas e a emissão de vistos para entrar no país está suspensa.