Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de terça-feira, 5 de maio

A medical staff gets out from a tent of a testing point for the COVID-19 coronavirus in central Moscow
A medical staff gets out from a tent of a testing point for the COVID-19 coronavirus in central Moscow   -   Direitos de autor  YURI KADOBNOV/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Destaques do dia

  • Reino Unido ultrapassa Itália e torna-se o segundo país com mais óbitos no mundo
  • Portugal regista o número de mortos (11) mais baixo desde março
  • Anthony Fauci, principal epidemiologista do Governo dos EUA, descartou uma alegada origem laboratorial do SARS-CoV-2, como defendem Donald Trump e Mike Pompeo
  • Rússia anuncia terceiro dia seguido acima dos 10 mil novos casos de infeção
  • Pandemia superou a fasquia dos 250 mil mortos a nível mundial

20h25 (CET) Cuomo avisa para os custos humanos da reabertura em Nova Iorque

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, defendeu que a reabertura da economia deve ter como primeiro fator de decisão os custos humanos e não a vertente económica.

Perante a retoma da normalidade em alguns estados norte-americanos, Cuomo preferiu uma abordagem mais cautelosa: "Quanto vale uma vida humana?"

A pergunta do governador de Nova Iorque surge num momento em que sobe a pressão política para aliviar as restrições no combate à pandemia de covid-19 no seu estado, onde se registaram já mais de 25 mil das cerca de 70 mil mortes no país.

19h30 (CET) França já contabiliza mais de 25.500 mortos

França anunciou hoje a contabilização de mais 330 mortes devido à covid-19 nas últimas 24 horas, superando desta forma as 25.500 vítimas desde o início da pandemia.

A Direção-Geral francesa da Saúde divulgou a existência até ao momento de 25.531 óbitos, dos quais 16.060 tiveram lugar em hospitais e 9.471 em lares.

No ranking dos países com mais vítimas mortais, França é a quinta nação mais atingida no mundo, apenas atrás de Estados Unidos (68.934 mortos), Reino Unido (29.427), Itália (29.315) e Espanha (25.613).

18h40 (CET) Reino Unido soma mais 693 mortes e ultrapassa Itália

O Reino Unido ultrapassou a Itália como o país europeu com mais mortes por covid-19, com mais 693 mortes nas últimas 24 horas, que aumentaram o total de óbitos para 29.427, segundo o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab.

Os últimos dados oficiais de Itália disponíveis apontaram para 29.315 mortes pelo novo coronavírus.

No entanto, dados oficiais divulgados esta terça-feira indicaram que o Reino Unido era o país europeu com maior número de mortos se forem somados os óbitos nas diferentes regiões do país de casos confirmados ou suspeitos de covid-19.

Com efeito, segundo a agência AFP, os relatórios semanais dos vários institutos de estatísticas do país referentes a abril resultam num saldo de 32.313 mortes, embora o ministério da Saúde britânico tenha criticado esta abordagem.

18h00 (CET) Itália anuncia mais 236 óbitos em 24 horas

A Itália anunciou mais 236 óbitos desde segunda-feira e regista agora um total de 29.315 mortes pelo novo coronavírus.

Segundo a Proteção Civil transalpina, a curva de contágio continua a descer no país e, desde a véspera, foram confirmados 1.075 novos casos, elevando o total para 213.013.

17h00 (CET) Fauci contraria suspeitas de Trump e Pompeo sobre origem do vírus

Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas e principal epidemiologista do Governo dos EUA, descartou uma alegada origem laboratorial do SARS-CoV-2 que deu origem à pandemia de covid-19, contrariando assim a versão defendida pelo Presidente Donald Trump e pelo seu Secretário de Estado, Mike Pompeo.

"Se olharmos para a evolução do vírus nos morcegos e para o que existe atualmente [de evidência científica], esta tende muito, muito fortemente para o facto de [o vírus] não poder ser artificialmente ou deliberadamente manipulado", afirmou Fauci numa entrevista à National Geographic que foi hoje difundida pelos meios de comunicação norte-americanos.

O especialista acrescentou que "tudo na evolução ao longo do tempo indica que [o novo coronavírus] evoluiu na natureza e depois saltou entre espécies".

16h20 (CET) Reino Unido deve tornar-se o 1.º país europeu acima dos 30 mil mortos

O Reino Unido deverá tornar-se hoje o primeiro país da Europa a ultrapassar as 30 mil vítimas mortais relacionadas com a pandemia de covid-19, passando assim a ser o segundo país mais atingido no mundo, apenas atrás dos Estados Unidos.

Segundo a AFP, os números semanais das várias agências regionais de estatística do país mostram um número de 32.313 mortes, das quais a covid-19 é a causa suspeita indicada na certidão de óbito, um número superior ao de Itália.

O último balanço do Ministério da Saúde britânico, que inclui apenas as mortes em hospitais e lares de doentes com resultados positivos para a covid-19, foi de 28.734 mortes na segunda-feira.

A atualização dos dados de terça-feira do Reino Unido será conhecida ainda esta tarde.

15h45 (CET) UE aprova ajuda financeira a 10 países vizinhos

Os Estados-membros aprovaram hoje a proposta da Comissão Europeia para uma ajuda financeira até três mil milhões de euros a uma dezena de países vizinhos face à pandemia de covid-19.

Através de empréstimos "em condições muito favoráveis”, a assistência comunitária vai chegar aos seguintes países: Montenegro (60 milhões), Kosovo (100 milhões), Moldávia (100 milhões), Geórgia (150 milhões), Macedónia do Norte (160 milhões), Albânia (180 milhões de euros), Bósnia-Herzegovina (250 milhões), Jordânia (200 milhões), Tunísia (600 milhões) e Ucrânia (1.200 milhões).

15h00 (CET) Pandemia ultrapassa os 250 mil mortos a nível mundial

A pandemia de covid-19 já causou a morte de 251.512 pessoas e infetou mais de 3,5 milhões em todo o mundo desde que o novo coronavírus foi detetado em dezembro, em Wuhan (China).

Segundo os dados da agência de notícias AFP, a partir de dados oficiais, mais de 1,1 milhões de pessoas foram consideradas curadas pelas autoridades de saúde.

Os Estados Unidos da América são, atualmente, o país mais atingido pela covid-19, tanto em número de óbitos (68.934), como de casos (1.180.634).

14h20 (CET) Portugal regista o aumento diário de óbitos mais baixo desde março

Portugal anunciou hoje a morte de mais 11 pessoas por covid-19, o aumento diário mais baixo desde março e que elevou para 1.074 o total de óbitos.

Segundo o boletim epidemiológico da Direção Geral da Saúde, há ainda mais 178 casos e um total atualizado de 25.702 infetados.

Em comparação com os dados de segunda-feira, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 1% e de 0,7% nos novos casos.

13h30 (CET) Mais de 10 mil novos casos na Rússia em 24 horas

Pelo terceiro dia seguido, a Rússia registou hoje mais de 10 mil casos de covid-19, elevando o número total de pessoas diagnosticadas com a doença para 155.370, de acordo com as autoridades de saúde russas.

Nas últimas 24 horas, foram registados 10.102 novos casos e 95 mortes causadas pela infeção provocada pelo novo coronavírus, o que significa que, desde o início da pandemia, o número de óbitos total é de 1.451.

12h45 (CET) Avião com equipamento médico despenha-se na Somália

Um avião com material e equipamento médico para apoio na luta contra a pandemia de covid-19 despenhou-se na segunda-feira na Somália, provocando a morte de seis pessoas, anunciaram hoje as autoridades somalis.

A aeronave (Embraer 120) da empresa queniana African Express embateu no solo próximo do aeroporto da cidade de Bardale.

12h00 (CET) Espanha anuncia mais 185 mortes nas últimas 24 horas

Espanha registou 185 mortes nas últimas 24 horas devido à pandemia de covid-19, ligeiramente acima dos dados da véspera, apesar de representar o terceiro dia consecutivo abaixo dos 200 óbitos. O total de vítimas desde o início da pandemia ascende a 25.613.

Segundo o Ministério da Saúde espanhol, há 867 novos casos positivos, elevando para 219.329 o total de casos de infeção.

11h20 (CET) Bélgica supera os 8000 óbitos

A Bélgica superou nas últimas 24 horas a marca dos 8000 mortos devido à covid-19. Os dados das autoridades sanitárias belgas deram hoje conta de 97 mortes, mais 17 em relação à véspera, elevando assim o total para 8016 desde o início da pandemia.

Desde segunda-feira foram também diagnosticados 242 novos casos (361 na segunda-feira, mantendo-se a tendência em baixa), para um total de 50.509.

10h30 (CET) Alemanha volta a registar mais de cem mortos

A Alemanha voltou a registar mais de uma centena de vítimas mortais por covid-19 na atualização desta terça-feira, depois de três dias consecutivos abaixo dessa fasquia.

Com efeito, após anunciar 43 óbitos na segunda-feira, o Instituto Robert Koch reportou hoje a morte de 139 pessoas nas últimas 24 horas, ou seja, mais do que triplicou o registo da véspera e elevou o total para 6831 óbitos.

As autoridades alemãs revelaram também que existem agora 163.860 casos de infeção pelo novo coronavírus, o que traduz um aumento de 685 em relação ao dia anterior.

Informações gerais

A pandemia de covid-19 já infetou mais de 3,5 milhões de pessoas e causou pelo menos 250 mil mortos em 195 países e territórios, havendo mais de um milhão de pessoas recuperadas da doença provocada por este novo coronavírus.

O surto terá surgido em dezembro na cidade de Wuhan, no centro da China e teve o primeiro registo na Europa em 20 em janeiro, em França, o mesmo dia em que se admite ter sido também registado pela primeira vez nos Estados Unidos.

O SARS-COV-2 entrou em África pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março, devido às medidas de confinamento decretadas pelos governos, ao encerramento de comércio e serviços, bem como a redução drástica do tráfego aéreo, o que paralisou a economia mundial.