Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: governo britânico criticado por gestão da crise

euronews_icons_loading
Covid-19: governo britânico criticado por gestão da crise
Direitos de autor  Frank Augstein/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A forma como o governo britânico está a gerir o combate à pandemia de coronavírus é alvo de um número crescente de críticas, depois do Reino Unido ter ultrapassado a Itália em termos do balanço oficial de vítimas mortais da Covid-19.

O professor Martin McKee, perito em Saúde Pública da Escola de Higiene e Medecina Tropical de Londres, diz que o país não estava preparado para enfrentar a crise:

"No início a Organização Mundial de Saúde dizia: 'testem, testem, testem'. Mas o Reino Unido não estava em posição para o fazer. A sua infraestrutura de saúde pública estava enfraquecida. Penso que é óbvio dizer que o governo teve outras preocupações nos últimos quatro anos. Teve um importante exercício de planeamento de emergência em 2016, mas os resultados nunca foram divulgados e sabemos que nada foi feito em relação a alguns desses dados."

A aplicação para "smartphone" destinada a identificar e notificar as redes de contacto de pessoas infetadas, que está em fase de teste, é vista com ceticismo por McKee:

"Temos a tendência para seguir o nosso próprio caminho, por exemplo com a aplicação, que está a ser testada e é diferente das de outros países. Não estamos a recorrer aos peritos locais, nos departamentos de saúde pública dos governos locais. De certa forma, é um tipo de programa central, vertical, que é usado em países de baixo rendimento e, infelizmente, não tem funcionado no passado."

Com cerca de 30.000 mortos, o Reino Unido é agora o país europeu com mais vítimas mortais da Europa. Mas, com uma população superior à Itália, em termos percentuais ainda se encontra na segunda posição.