Última hora
This content is not available in your region

Europa prepara-se para o desconfinamento

euronews_icons_loading
Europa prepara-se para o desconfinamento
Direitos de autor  Emilio Morenatti/ Associated Press
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia de coronavírus continua a ser uma ameaça, alertou o primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez, enquanto o país avança em direção ao levantamento do bloqueio. Espanha é uma das nações mais atingidas e tem um plano de transição por fases até o final de junho.

A partir desta segunda-feira um certo grau de socialização vai ser possível, os restaurantes começam a abrir determinados serviços ao ar livre. Madrid e Barcelona, duas das regiões mais afetadas, não farão parte desta primeira fase como medida de precaução, para evitar uma segunda vaga de contaminações.

Gostaria de repetir: o vírus não desapareceu, ainda está à espreita. A luta contra a epidemia continua porque não ainda não está extinta, nem estará até encontrarmos uma vacina ou um remédio definitivo.
Pedro Sánchez
Primeiro-ministro de Espanha

Segunda-feira é a vez de França sair do confinamento que se prolonga há 55 dias, embora não completamente. De acordo com os últimos números, 80 pessoas morreram no país nas últimas 24 horas.

Já não será necessária uma autorização para viajar a mais de 100 km de distância da residência. O pequeno comércio e os cabeleireiros vão abrir, mas não os centros comerciais. A frequência dos transportes públicos vai aumentar gradualmente, mas em Paris será necessária uma autorização da entidade empregadora para circular nos transportes da cidade em horas de ponta. Espaços como restaurantes, cafés, bares, museus e salas de concerto vão continuar encerrados.

No Reino Unido, mais de 31 mil pessoas morreram de COVID-19. O país está a investir 2 mil milhões de libras para reformar o sistema de transportes privilegiando bicicletas e meios mais ecológicos. O primeiro-ministro Boris Johnson deve delinear a estratégia de desconfinamento neste domingo.