Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de quinta-feira, 28 de maio

Teste à covid-19
Teste à covid-19   -   Direitos de autor  PEDRO PARDO/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Principais destaques desta quinta-feira:

  • Portugal suspende o uso de hidroxicloroquina no tratamento de doentes com covid-19, num dia em que registou mais 13 óbitos e 304 novos casos.
  • Moçambique comunica segundo óbito e renova estado de emergência por mais 30 dias.
  • Reino Unido anuncia mais 377 óbitos nas últimas 24 horas e aproxima-se das 38 mil vítimas.
  • OMS assume dificuldades dos países de África para conseguirem acesso aos testes de rastreio.
  • Donald Trump expressou no Twitter as suas condolências às famílias dos mais de 100 mil mortos pela pandemia provocada pelo novo coronavírus nos Estados Unidos.
  • Arábia Saudita levanta restrições de confinamento no dia em que supera a marca dos 80 mil casos.

21h20 (CET) Moçambique prolonga estado de emergência por mais 30 dias

O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, anunciou hoje a segunda prorrogação do estado de emergência no país devido à pandemia de covid-19, estendendo o período de exceção por mais 30 dias, até 29 de junho.

A prorrogação foi ainda hoje remetida para a Assembleia da República para ratificação, acrescentou Nyusi, que justificou a medida com o aumento do número de infeções pelo novo coronavírus e o seu alastramento a todas as províncias do país. Moçambique registou esta quinta-feira o segundo óbito por covid-19 e chegou ao total acumulado de 233 casos, com 82 recuperados.

20h45 (CET) França confirma mais 67 óbitos nas últimas 24 horas

França registou mais 67 mortos por covid-19 nos hospitais nas últimas 24 horas, somando um total de 28.662 mortos no país.

De acordo com os dados da Direção Geral da Saúde francesa, ainda há 15.208 pessoas hospitalizadas devido ao novo coronavírus, das quais 1.429 encontram-se internadas em unidades de cuidados intensivos.

20h10 (CET) Série A italiana regressa aos relvados a 20 de junho

O campeonato italiano de futebol, mais conhecido por Série A, interrompido no dia 9 de março devido à pandemia de covid-19, será retomado em 20 de junho, anunciou esta quinta-feira o Ministro dos Desportos, Vincenzo Spadafora.

"O Comité Técnico e Científico concordou com o protocolo e a federação garantiu-me que tem um Plano B e um Plano C. À luz destas considerações, o campeonato pode ser retomado em 20 de junho", disse Spadafora, após uma reunião com os órgãos dirigentes do futebol italiano.

19h50 (CET) Moçambique oficializa segunda morte por covid-19

Moçambique registou nas últimas 24 horas o segundo óbito devido à covid-19. A vítima era uma mulher de nacionalidade moçambicana, com idade entre os 45 e os 50 anos, e estava internada numa unidade hospitalar, na província de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Segundo a diretora de Saúde Pública do país, Rosa Marlene, foram também identificados seis novos casos de infeção, aumentando assim o total de 227 para 233 infetados.

19h25 (CET) Arábia Saudita atinge 80 mil casos e levanta restrições

A Arábia Saudita superou esta quinta-feira os 80 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia, mas deu também o pontapé de saída na primeira fase de levantamento de restrições para combater a pandemia.

Apesar de ser o segundo país do Médio Oriente com mais casos, atrás apenas do Irão, que já soma mais de 140 mil, os sauditas puderam hoje sair às ruas entre as 06h e as 15h, depois de quatro dias de recolher obrigatório.

19h00 (CET) Espanha anuncia mais 38 mortes

O Ministério da Saúde comunicou esta quinta-feira 38 mortes por covid-19, enquanto os casos diagnosticados nas últimas 24 horas são 182, 49 a menos do que ontem.

De acordo com os dados das autoridades sanitárias espanholas, o total de infeções é agora de 237.906 desde o início da pandemia.

18h40 (CET) Itália assinala mais 70 óbitos nas últimas 24 horas

A Itália registou 70 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, metade do número registado na quarta-feira, e o total ascende agora a 33.142, de acordo com os últimos números da Protecção Civil.

Já os novos casos registados são 593, sendo que um terço desses situa-se na Lombardia, a região mais atingida pela pandemia. O total de casos ascende agora a 231.732. Mais de 150 mil pessoas foram consideradas curadas e nos cuidados intensivos já estão menos de 500 em todo o país.

18h15 (CET) Portugal suspende tratamento com hidroxicloroquina

O Infarmed decidiu hoje avançar com a suspensão do uso de hidroxicloroquina no tratamento de doentes com covid-19, seguindo o exemplo de vários países, como França, Bélgica e Itália.

A informação foi adiantada pela Antena 1 e confirmada pelo instituto ao jornal Público. Já na conferência de imprensa desta quinta-feira, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, tinha deixado claro que as posições contrárias ao uso desta substância estavam a ser analisadas.

"Estamos neste momento a avaliar em que estatuto é que vai ficar no nosso país. Será emitida uma recomendação em muito breve prazo", declarou.

17h55 (CET) Reino Unido soma mais 377 mortos e aproxima-se dos 38 mil

O Reino Unido registou mais 377 mortes nas últimas 24 horas, elevando para 37.837 o número de óbitos durante a pandemia de covid-19.

Segundo o ministério da Saúde britânico, o número de casos aumentou para 269.127, após terem sido diagnosticados mais 1.887 infetados face ao dia anterior.

17h30 (CET) Croácia reabre fronteiras a 10 países para fomentar turismo

A Croácia reabriu hoje as fronteiras com dez países da Europa Central e Oriental sem quaisquer restrições para facilitar a chegada de turistas, anunciou o primeiro-ministro croata Andrej Plenkovic.

"Estamos a abrir-nos ao turismo. A decisão diz respeito à Eslovénia, Hungria, Áustria, República Checa, Eslováquia, Estónia, Letónia, Lituânia, Polónia e Alemanha", disse o governante, sendo que a lista de países deverá ser gradualmente alargada num futuro próximo.

17h00 (CET) Trump manifesta pesar pelas 100 mil vítimas nos EUA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, apresentou esta quinta-feira as suas condolências aos familiares das mais de 100 mil vítimas da pandemia de covid-19 no país.

"Acabámos de atingir um limiar muito triste, com o número de mortes da pandemia de coronavírus a atingir 100.000", escreveu Trump na rede social Twitter, acrescentando: "A todas as famílias e amigos dos que partiram, quero apresentar as minhas sinceras condolências e amor por tudo o que estas pessoas admiráveis representaram e defenderam. Que Deus esteja convosco".

16h30 (CET) BBC adianta que a Premier League será retomada a 17 de junho

A liga inglesa de futebol deverá ser retomada no dia 17 de junho, avançou na tarde desta quinta-feira a estação britânica BBC.

O principal campeonato inglês, conhecido como Premier League, foi suspenso há mais de dois meses devido à pandemia de covid-19, num momento em que o Liverpool liderava de forma destacada a competição, precisando de apenas dois triunfos para selar o primeiro título em mais de 20 anos.

16h00 (CET) Cientistas pedem acesso a dados do estudo da Lancet sobre hidroxicloroquina

Cientistas de vários países pedem mais informações sobre os dados utilizados no grande estudo publicado na Lancet, segundo o qual a hidroxicloroquina não parece ser benéfica para os doentes com covid-19 e pode mesmo ser prejudicial.

Publicado em 22 de maio, o estudo baseia-se em dados de cerca de 96.000 pacientes internados entre dezembro e abril em 671 hospitais, e compara o estado dos que receberam tratamento com o dos que não o receberam.

A OMS viria a suspender os ensaios clínicos de hidroxicloroquina na sequência dessas conclusões.

15h30 (CET) Pandemia provoca forte impacto no desemprego nos EUA

Em dois meses de pandemia nos Estados Unidos foram registados 41 milhões de pedidos de subsídio de desemprego, segundo os números do Departamento do Trabalho.

Só na última semana foram registados mais 2,1 milhões de pedidos, ainda assim abaixo dos 2,4 milhões observados nos sete dias anteriores.

15h05 (CET) OMS reconhece desafio difícil no acesso aos testes em África

A diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para África, Matshidiso Moeti, reconheceu hoje que o acesso aos testes à covid-19 é “um dos maiores desafios” que os países da região enfrentam, três meses após a deteção do primeiro caso no continente.

A covid-19 em África já provocou 3.696 mortes, em mais de 124 mil casos de infeção em 54 países.

14h40 (CET) Portugal soma mais 13 óbitos e 304 casos nas últimas 24 horas

Portugal anunciou hoje mais 13 mortes, elevando o total para 1.369 óbitos relacionados com a covid-19, sendo que o total de infetados é de 31.596, com mais 304 face à véspera, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde.

14h15 (CET) Índia regista recorde diário de novos casos

A Índia registou um novo recorde diário de casos de coronavírus nesta quinta-feira, com mais de 6.500 novas infeções, elevando o total do país para mais de 158 mil. O pico surge quando o confinamento decretado no país há dois meses está previsto terminar este domingo.

O governo liderado pelo primeiro-ministro Narendra Modi está a preparar um novo conjunto de orientações a publicar este fim-de-semana, possivelmente prolongando o encerramento nas zonas mais atingidas, uma vez que promove a atividade económica.

13h50 (CET) Israel avança com campanha alargada de testes serológicos

As autoridades israelitas começaram a realizar testes serológicos a 100 mil cidadãos, uma das maiores campanhas de rastreio do mundo, a fim de evitar uma "segunda vaga" da doença de covid-19, afirmou esta quinta-feira um alto funcionário.

Os testes são concebidos para medir a "imunidade do efetivo" da população israelita e para identificar os mais susceptíveis de serem afetados em caso de uma nova vaga da infeção.

13h30 (CET) Pandemia já passou as 355 mil vítimas

A pandemia provocada pelo novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 355.736 pessoas e infetou mais de 5,7 milhões em todo o mundo desde dezembro, quando foi detetada na cidade de Wuhan, na China.

De acordo com os dados recolhidos pela agência AFP junto de fontes oficiais, pelo menos 2.280.300 casos foram já considerados curados pelas autoridades de saúde..

Outras notícias desta quinta-feira:

- A Alemanha anunciou hoje 62 óbitos e 353 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. O total de mortes do país ascende agora a 8.411, enquanto os casos reportados são 179.717, segundo dados do Instituto Robert Koch, o centro de epidemiologia da Alemanha.

- A Rússia igualou o número diário de óbitos mais alto desde o início da pandemia, ao contabilizar 174 mortes nas últimas 24 horas, o que levou o país a superar a marca das 4.000 vítimas (4.142). Em termos de novos casos, foram diagnosticados 8.371, num total que já ultrapassa os 379 mil.

- A Bélgica assinalou hoje uma subida do número de novos casos de covid-19 para os 257 e uma quebra nas mortes para 31, segundo dados oficiais hoje divulgados. O país já soma 9.388 mortos desde o início da pandemia, em 57.849 casos.

- O número de mortos em África por covid-19 aumentou para 3.696 nas últimas 24 horas, mais 107 em relação ao dia anterior, em mais de 124 mil casos de infeção em 54 países.

- A Coreia do Sul teve o maior registo diário de novos casos em quase dois meses, com 79 novas infeções por covid-19 diagnosticadas nas últimas 24 horas. Desde o dia 5 de abril, que registou 81 casos, não se detetavam tantos casos.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos admitam que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro. O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida. O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos. Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença. De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março. Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica.