Última hora
This content is not available in your region

Protestos desrespeitam recolher obrigatório nos EUA

euronews_icons_loading
Protestos desrespeitam recolher obrigatório nos EUA
Direitos de autor  Frank Franklin II/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Multidões desobedeceram ao recolher obrigatório decretado em várias cidades dos Estados Unidos para protestar contra a violência policia e a morte do afro-americano. Nova Iorque foi exemplo de mais uma jornada das manifestações que já decorrem há pouco mais de uma semana

"Nada de violência, mesmo depois do recolher obrigatório, não vamos deixar Trump degradar a nossa democracia, hoje. De acordo com a primeira emenda, temos o direito de falar", diz um manifestante.

Em Nova Iorque, depois de críticas de que a cidade estava a ficar fora de controlo, o presidente da câmara Bill de Blasio antecipou o recolher obrigatório das 23h para as 20h, mas rejeitou a intervenção da Guarda Nacional proposta pelo presidente Donald Trump. Houve inúmeras detenções, não se sentiu violência mas houve vandalismo e pilhagens.

O protesto em Washington DC também foi menos tenso. Os manifestantes encenaram detenções, perto da Casa Branca, ao deitarem-se no chão em conjunto.

Em Minneapolis, a mãe da filha de seis anos de George Floyd quis sublinhar o que diz ser o bom caráter do pai. "Estou aqui pela minha menina e também pelo George porque quero que tenha justiça, quero justiça para ele. Seja o que for que pensem dele, ele era um bom homem", declarou Roxie Washington.

George Floyd morreu depois de uma alegada resistência à detenção policial ter levado um agente a imobilizá-lo com um joelho no pescoço durante 8 minutos.