Última hora
This content is not available in your region

Julgamento do caso do voo MH17 recomeça

euronews_icons_loading
Julgamento do caso do voo MH17 recomeça
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

O julgamento do caso da queda do avião da Malaysia Airlines que operava o voo MH17 recomeçou esta segunda-feira, mas a defesa pede mais tempo de preparação. O suspeito russo Oleg Pulatov é representado por uma advogada holandesa, Sabine ten Doesschate, que alega que as restrições relacionadas com a pandemia prejudicaram seriamente os trabalhos e não ter conseguido viajar até à Rússia para falar com o cliente.

Juízes e promotores não responderam imediatamente às reivindicações que podem levar a atrasos adicionais. O julgamento começou em 9 de março, mas foi interrompido devido ao bloqueio.

Em condições ideais, teríamos muito mais tempo para preparar o caso neste espaço de tempo e durante as restrições relacionadas com o novo coronavírus - como aconteceu com muitos outros casos criminais - ficou em espera. Todas estas medidas têm um grande impacto na preparação da defesa de Pulatov.
Sabine ten Doesschate
Advogada de Oleg Pulatov

A 17 de julho de 2014, um Boeing 777 operado pela companhia aérea da Malásia partiu de Amesterdão com destino a Kuala Lumpur. Três russos e um ucraniano são acusados de provocar a morte das 298 pessoas a bordo e a queda do avião, na região do Donbass, no leste da Ucrânia. O suspeito russo Oleg Pulatov diz ser inocente.