This content is not available in your region

EUA dizem "não" a negociações sobre tributação às empresas digitais

Access to the comments Comentários
De  Pedro Sacadura  com AFP, Lusa
euronews_icons_loading
EUA dizem "não" a negociações sobre tributação às empresas digitais
Direitos de autor  EN

Os EUA deitaram por terra os planos de vários países de negociar, no quadro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), um acordo para a tributação às empresas digitais.

Numa carta endereçada ao ministro francês das Finanças e aos homólogos de Itália, Espanha e Reino Unido, o secretário do Tesouro dos EUA anunciou que as discussões atingiram um impasse. Steve Mnuchin sublinhou que os EUA não conseguiram, mesmo numa base provisória, chegar a um acordo sobre a matéria, que afetaria empresas americanas líderes no setor. Foi mais longe e ameaçou os países europeus de medidas de retaliação se avançarem com taxas nacionais.

Em entrevista à France Inter, o ministro francês das Finanças, Bruno Le Maire, falou em "provocação" e mostrou-se indignado com a forma de tratamento por parte dos EUA: "Esta carta é uma provocação. Uma provocação aos parceiros da OCDE. Estávamos a escassos centímetros de distância de um acordo sobre a tributação aos 'gigantes digitais' que são, talvez, os únicos no mundo que estão a beneficiar com a pandemia de Covid-19."

O comissário europeu para os Assuntos Económicos, Paolo Gentiloni, também se manifestou, através do Twitter. Reforçou a necessidade de um imposto digital adequado à realidade atual e acrescentou que se os EUA bloqueiam um acordo, a Comissão Europeia apresentará uma alternativa.

França já fez saber que não vai renunciar às taxas implementadas em 2019, por uma "questão de justiça." A administração norte-americana contra-atacou ameaçando "taxar até 100% os produtos franceses."

Em janeiro, 137 países concordaram alcançar um acordo sobre a tributação dos gigantes digitais até ao final deste ano, no quadro a OCDE. Um processo agora bloqueado pelos EUA.