Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de segunda-feira, 22 de junho

Covid-19: Os números e as notícias de segunda-feira, 22 de junho
Direitos de autor  Daniel Cole/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia já fez com que mais de nove milhões de pessoas fossem infetadas em pelo menos 185 países e, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, terá contribuído para 469,239 mortes. O total de recuperados ultrapassa os 4,4 milhões.

O surto de SARS-CoV-2 terá surgido em dezembro na cidade chinesa de Wuhan e teve o primeiro registo na Europa a 20 em janeiro, em França, no mesmo dia em que agora se admite ter sido também registado o primeiro caso dos EUA.

A pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março.

Atualizações:

21:20 CET - França diminui número de pacientes graves

A França comunicou, esta segunda-feira, uma nova diminuição do número de doentes com covid-19 nos cuidados intensivos, indicando que irá reforçar a vigilância no território ultramarino da Guiana Francesa, onde o vírus circula de forma intensa.

As autoridades sanitárias francesas referiram que estão hospitalizados 9.693 pacientes infetados com o novo coronavírus, dos quais 701 estão nas unidades de cuidados intensivos, menos 26 do que na passada sexta-feira.

Nas últimas 24 horas foram detetados mais 142 novos casos, referiram as autoridades, que sublinharam que a maioria dos contágios continua a concentrar-se no norte e leste do país, bem como na região de Paris.

21:15 CET - Número de infetados devido à festa ilegal em Lagos subiu para 111

O número de casos positivos de covid-19 associados à festa em Odiáxere, no concelho de Lagos, subiu para 111, dos quais 19 são crianças com menos de 9 anos, indicou, esta segunda-feira, a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.

21:10 CET - Volta a Portugal em bicicleta com 'luz verde' para ir para a estrada - Governo

A edição de 2020 da Volta a Portugal em bicicleta vai poder realizar-se mediante as restrições aprovadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS), confirmou, esta segunda-feira, a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto.

Em resposta à Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), o secretário de Estado da Juventude e do Desporto afirmou que, com o plano sanitário apresentado e mediante a resolução do Conselho de Ministros que permite competições individuais ao ar livre desde 01 de junho, “estão reunidas as condições para a sua realização nos termos propostos”.

21:00 CET - Suspensas visitas a lares de concelhos vizinhos a Reguengos de Monsaraz

As visitas aos lares de idosos na “maioria das instituições dos concelhos circundantes” a Reguengos de Monsaraz, onde existe um surto de covid-19, foram suspensas nos últimos dias, revelou, esta segunda-feira, a União Distrital das IPSS de Évora.

O presidente da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UDIPSS) de Évora, Tiago Abalroado, indicou que devido ao surto de covid-19 detetado no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS), em Reguengos de Monsaraz, na quinta-feira, “a maioria das instituições” com lares de idosos nestes concelhos vizinhos “terá dado um passo atrás” e voltou a suspender as visitas.

19:40 CET - OMS desafia laboratórios a aumentarem produção de anti-inflamatório dexametasona

A Organização Mundial da Saúde (OMS) desafiou, esta segunda-feira, os laboratórios farmacêuticos a aumentarem a produção do medicamento anti-inflamatório dexametasona, reiterando que o fármaco apenas deve ser administrado a doentes com covid-19 em estado grave e sob supervisão médica.

De acordo com o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, o dexametasona "pode salvar doentes em estado grave", mas apenas deve ser administrado a estes pacientes e sob "supervisão clínica".

18:44 CET - Portugal com mais polícias nas ruas e com mais poderes contra festas ilegais

O primeiro-ministro português, António Costa, anunciou, esta segunda-feira, que o Governo vai aprovar na quinta-feira um decreto que permitirá às polícias reforçar a sua presença de fiscalização nas ruas, com poderes acrescidos para autuarem organizadores e participantes em festas ilegais.

A medida vai ser aprovada em Conselho de Ministros na próxima quinta-feira.

No conjunto de área metropolitana de Lisboa, em paralelo com esta medida, o Governo também se prepara repor o número máximo de dez pessoas como limite nos ajuntamentos, tendo em vista controlar eventos [festas ilegais] considerados como um elevado risco para a saúde pública.

18:30 CET - Número de mortos na Guiné-Bissau sobe para 19 em 1.556 casos

O número de mortos por covid-19 na Guiné-Bissau aumentou hoje para 19, num total de 1.556 casos acumulados, segundo dados do Centro de Operações de Emergência de Saúde (COES).

De acordo com o coordenador do COES, Dionísio Cumba, foram detetados 15 novos casos positivos para covid-19 no país, aumentando o total acumulado para 1.556. Destes, 19 morreram, tendo sido registadas mais duas vítimas mortais.

18:25 CET - Cabo Verde com recorde de casos diários aumenta total para 944

Cabo Verde registou, esta segunda-feira, mais 54 casos positivos do novo coronavírus, o maior número diário no país desde o início da pandemia, elevando o total a nível nacional para 944, revelou o Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde e da Segurança Social informou que os laboratórios do país realizaram 320 amostras, referentes a domingo, tendo 54 dado resultado positivo, um recorde de casos registados num dia no país, que antes era de 47, na ilha da Boa Vista.

Os novos casos positivos foram registados na Praia (09), Santa Cruz (21), Santa Catarina (02), todos na ilha de Santiago, e Sal (22).

18:18 CET - Mais quatro casos em Moçambique e total sobe para 737

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais quatro casos positivos de covid-19, elevando o total de infetados pelo novo coronavírus para 737 e mantendo-se os cinco óbitos, anunciou o Ministério da Saúde.

Do total de casos registados esta segunda-feira, dois são da província de Niassa e dois da cidade de Maputo.

Do total de 737 casos registados em Moçambique, 667 são de transmissão local e 70 são importados, havendo registo de cinco mortos e nove internados.

18:15 CET - Bolsa de Nova Iorque em queda penalizada por novos surtos de covid-19

A bolsa de Nova Iorque está hoje a negociar no vermelho, penalizada pelo aumento dos surtos do novo coronavírus nos Estados Unidos e noutros países do mundo à medida que se assiste à reabertura das economias.

Pelas 14:45 hora de Lisboa, o índice Dow Jones Industrial caía 0,5% para 25.734,43 pontos, enquanto que o S&P500 recuava 0,18% para 3.092,25 pontos e o Tecnológico Nasdaq perdia 0,15% para 9.931,35 pontos.

17:48 CET - Espanha com 125 novos casos e um óbito nas últimas 24 horas

O Ministério da Saúde espanhol comunicou hoje que há 125 novos casos de pessoas infetadas com a covid-19 e uma morte provocada pela doença nas últimas 24 horas.

Os serviços sanitários espanhóis atualizaram para 246.504 o total de pessoas infetadas desde o início da pandemia, dos quais 125 novos casos confirmados hoje.

Por outro lado, já faleceram 28.324 pessoas com a pandemia, mais uma do que o total de domingo, havendo 21 óbitos notificados na última semana.

17:36 CET - Três concelhos espanhóis retrocedem para fase dois do desconfinamento

Três concelhos da província espanhola de Huesca retrocederam para a "fase dois" do desconfinamento, após ser detetado um surto de covid-19 no meio agrícola, anunciou hoje o Governo da comunidade autónoma espanhola de Aragão.

La Litera, Cinca Medio e Bajo Cinca regressaram assim à última fase do alívio na luta contra a pandemia, tendo sido reintroduzidas limitações nestes territórios, tais como uma capacidade de 50% no setor hoteleiro, a proibição de utilizar os bares ou uma ocupação máxima de um terço da capacidade das piscinas.

Os serviços regionais de saúde desta comunidade, que fica junto à fronteira com França, recomendaram que os habitantes dos três concelhos atingidos evitem saídas e que os das zonas limítrofes também devem evitar a zona.

17:02 CET - Governo português aplica novas medidas de confinamento em 15 freguesias na Área Metropolitana de Lisboa

O Governo português decidiu prolongar o estado de calamidade em 15 freguesias de cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa onde estão localizados mais novos contágios de covid-19, bem como repor o limite máximo de 10 pessoas por ajuntamento.

No final de uma reunião com os autarcas de Lisboa, Sintra, Amadora, Odivelas e Loures, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o núcleo do problema de novos contágios de covid-19 “centra-se em 15 freguesias do conjunto destes concelhos”, que serão sujeitas a novas medidas de confinamento que entram em vigor às 00:00 de terça-feira.

Contudo, o chefe do Governo não especificou quais são essas 15 freguesias.

16:10 CET - Reino Unido regista mais 15 mortes, valor mais baixo desde meados de março

O Reino Unido registou 15 mortes devido ao novo coronavírus nas últimas 24 horas, o valor mais baixo desde meados de março, fazendo o total de óbitos durante a pandemia subir para 42.647, anunciou hoje o Ministério da Saúde.

Nas últimas 24 horas foram diagnosticados 958 infetados entre 139.659 testes efetuados, pelo que o número de casos de contágio aumentou para 305.289 desde o início da pandemia.

14:57 CET - Portugal com mais quatros mortos e 259 novos casos confirmados

Portugal regista, esta segunda-feira, mais quatro mortos relacionados com a covid-19 do que no domingo e mais 259 infetados, a maioria na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Os dados da DGS indicam 1.534 mortes relacionadas com a covid-19 e 39.392 casos confirmados desde o início da pandemia.

Em comparação com os dados de domingo, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,3%. Já os casos de infeção subiram 0,7%.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, a pandemia de covid-19 atingiu os 16.926 casos confirmados, mais 164 do que no domingo, o que corresponde a 63% dos novos contágios.

14:43 CET - A Unicef ​​avisou que a pandemia de coronavírus pode provocar a morte de 1,2 milhões de menores de 5 anos nos próximos seis meses, devido à cobertura reduzida dos serviços médicos de rotina e ao aumento da desnutrição.

A pandemia global também causou um atraso nas campanhas de vacinação e o Unicef ​​estima que, pelo menos, 80 milhões de bebés com menos de um ano de idade correm o risco de contrair doenças como difteria, sarampo ou poliomielite, 23 milhões dos quais em África.

14:15 CET - A taxa de contágio da covid-19 voltou a subir de 1,79 para 2,88 na Alemanha, o que significa que cada portador de covid-19 infeta, em média, quase três pessoas.

O Instituto Robert Koch (RKI) ressalva que este indicador é muito sensível a mudanças de curto prazo, o que pode levar a grandes flutuações, provocadas nesta altura por vários focos no país.

O maior foco de contágio registou-se num matadouro e fábrica de carne, em Gütersloh, no estado da Renânia do Norte-Vestefália, onde sete mil pessoas estão em quarentena e escolas e jardins-de-infância foram novamente encerrados. Mais de 1.300 trabalhadores testaram positivo.

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 468.518 pessoas e infetou quase nove milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

Em Portugal, morreram 1.534 pessoas das 39.392 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

De acordo com os dados recolhidos pela agência de notícias francesa até às 12:00 de Lisboa, já morreram pelo menos 468.518 pessoas e há mais de 8.979.750 infetados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan.

Pelo menos 4.200.700 casos foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

Contudo, a AFP adverte que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada ao coronavírus no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 119.977 e 2.280.969 casos, respetivamente. Pelo menos 617.460 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil com 50.617 mortes em 1.085.038 casos, Reino Unido com 42.632 mortes (304.331 casos), Itália com 34.634 mortes (238.499 casos) e França com 29.640 mortos (196.878 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 83.378 casos (26 novos entre domingo e hoje), incluindo 4.634 mortes (nenhuma nova) e 78.413 curados.

A Europa totalizou 192.860 mortes para 2.532.159 casos, Estados Unidos e Canadá 128.448 mortes (2.382.255 casos), América Latina e Caraíbas 95.912 mortes (2.058.781 casos), Ásia 29.432 mortes (1.046.176 casos), Médio Oriente 13.645 mortes (644.308 casos), África 8.090 mortes (307.167 casos) e Oceânia 131 mortes (8.908 casos).

Esta avaliação foi realizada com dados recolhidos pela AFP junto de autoridades de saúde e informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A AFP avisa que devido a correções pelas autoridades ou a publicação tardia dos dados, os valores de aumento de 24 horas podem não corresponder exatamente aos publicados no dia anterior.