Última hora
This content is not available in your region

Trump alarga proibição de vistos

euronews_icons_loading
Trump alarga proibição de vistos
Direitos de autor  AP / Sue Ogrocki
Tamanho do texto Aa Aa

Viver e trabalhar nos Estados Unidos é mais difícil, senão impossível, para muitos, pelo menos até ao final deste ano. O presidente Donald Trump alargou o âmbito da proibição dos vistos de trabalho ao trabalho temporário. Estas mudanças, que têm efeito já a partir desta quarta-feira, têm como objetivo, segundo o presidente, melhorar os números do emprego, afetados pelo surto de Coronavírus.

Entre os tipos de visto suspensos ou altamente restringidos estão os usados pelas grandes empresas tecnológicas do país, como a Google, a Microsoft ou o Facebook, que estão entre os maiores críticos da medida. Trump acredita que vai assim conseguir salvar mais de 500 mil norte-americanos do desemprego, um número contestado pelos críticos, que veem nesta uma medida eleitoralista, a poucos meses do confronto com Joe Biden nas urnas.

Depois do fiasco do comício em Tulsa, sabotado pela compra em massa de bilhetes por parte de pessoas que não foram, o que deixou o pavilhão meio vazio, Trump prepara outra ação de campanha, desta vez numa mega-igreja de Phoenix, no Arizona, com capacidade para milhares de pessoas. O Estado tem uma média de contágios de Covid-19 muito superior ao resto do território.

A presidente da câmara da cidade já se insurgiu contra. O Coronavírus afeta cerca de 20% de toda a população do Estado, muito acima do resto do território norte-americano.

Antes, o presidente visitou uma porção do muro na fronteira com o México que está a ser construída no Arizona. O muro foi uma das principais promessas de campanha de Trump há quatro anos.