Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de quinta-feira, 02 de julho

Teste à covid-19
Teste à covid-19   -   Direitos de autor  WILLIAM WEST/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia do novo coronavírus fez pelo menos 517.416 mortos em todo o mundo desde que a China declarou oficialmente o surto da doença, em dezembro, de acordo com um relatório da AFP a partir de fontes oficiais atualizado até às 20:00 CET desta quinta-feira.

Mais de 10.769.890 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, dos quais pelo menos 5.454.100 são agora considerados curados.

Acompanhe aqui as últimas notícias:

21h15 (CET) Angola regista 24 novos casos e duas mortes

Angola anunciou hoje 24 novos casos de infeção por covid-19 e duas mortes, totalizando agora 315 infetados no país, que resultaram num total de 17 óbitos desde o início da pandemia, anunciou hoje o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda.

A doença tem vindo a acelerar em Angola, que viu o número de casos praticamente duplicar em duas semanas. A 17 de junho, o país registava 155 infeções, com sete óbitos.

20h50 (CET) França declara mais 14 óbitos nas últimas 24 horas

França contabilizou nas últimas 24 horas 14 mortes associadas à covid-19, elevando o total de óbitos desde o início da pandemia para 29.875, indicaram hoje as autoridades sanitárias francesas em comunicado.

Segundo as autoridades sanitárias francesas, nas últimas 24 horas, 573 infetados encontram-se nas unidades de cuidados intensivos dos diferentes hospitais do país, menos nove do que na véspera, enquanto o total de casos confirmados é de 166.378.

20h20 (CET) OMS avisa para mutação do SARS-CoV-2

O novo coronavírus está a mudar, mas não perdeu potência, não se transmite menos nem a doença que provoca está menos grave, afirmou hoje a principal responsável técnica da Organização Mundial de Saúde (OMS) no combate à pandemia da covid-19.

“São mudanças naturais que se esperam de um vírus RNA, mudanças que esperamos. Não vimos nenhuma indicação de que estas mudanças signifiquem alguma mudança na transmissibilidade e na gravidade” da covid-19, afirmou Maria van Kerkhove em conferência de imprensa a partir da sede da organização, em Genebra.

19h50 (CET) Crise pandémica deve custar 8,5 milhões de empregos na América latina

A crise gerada pela pandemia do novo coronavírus deve levar ao encerramento de mais de 2,7 milhões de empresas e à perda de 8,5 milhões de empregos na América Latina, advertiu esta quinta-feira a Cepal, a comissão económica das Nações Unidas para a região.

Os setores comercial e da hotelaria e restauração, que incluem um grande número de pequenas e médias empresas (PMEs), serão os mais afetados pelo impacto da pandemia de covid-19.

19h15 (CET) São Tomé e Príncipe confirma mais dois casos e totaliza 717

O Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe declarou hoje dois novos casos positivos de covid-19, aumentando para 717 o número de infetados. De acordo com o boletim diário de hoje, o número de pessoas recuperadas aumentou para 260, estando internados no hospital de campanha seis pacientes e outros oito no serviço sintomático respiratório.

Em isolamento domiciliar encontram-se 438 cidadãos, mantendo-se em 13 o número de óbitos por covid-19 no país.

18h45 (CET) El Salvador já soma 7 mil casos e pelo menos 191 mortos

El Salvador regista um total de 191 mortes por covid-19 e o número de casos positivos atingiu os 7.000, de acordo com dados oficiais. Segundo as autoridades, 264 novos casos foram detetados na quarta-feira e mais nove pessoas morreram.

Das 7.000 infeções, 2.694 são casos ativos, 191 salvadorenhos morreram e 4.115 pessoas recuperaram da doença. Além disso, existem 7.414 casos considerados suspeitos.

18h10 (CET) Espanha passa os 250 mil casos e soma mais cinco óbitos

Espanha registou cinco mortes relacionadas com a covid-19 nas últimas 24 horas e 134 novos casos de pessoas infetadas.

O Ministério da Saúde espanhol atualizou para 28.368 o número total de óbitos desde o início da pandemia, sendo que o total de pessoas infetadas é agora de 250.103, dos quais 134 diagnosticados nas últimas 24 horas.

17h40 (CET) Mais 15 casos confirmados em Moçambique

Moçambique registou nas últimas 24 horas mais 15 casos de infeção pelo novo coronavírus, que elevam o total para 918 casos positivos, mantendo-se com seis mortos, anunciou hoje o Ministério da Saúde moçambicano.

Os novos casos foram registados nas províncias de Cabo Delgado (10), Maputo (02), Niassa (01), Nampula (01) e Gaza (01), sendo todos de nacionalidade moçambicana.

17h15 (CET) Florida bate recorde de contágios nas últimas 24 horas

O estado da Florida, no sul dos Estados Unidos, registou mais de 10.000 casos de covid-19 em 24 horas, um pico de contágio que forçou as autoridades a avançarem com medidas preventivas para evitar um colapso hospitalar, especialmente no sul do estado.

Com os 10.019 novos casos comunicados pelo Departamento de Saúde da Florida, o número de pessoas infetadas no estado desde 1 de março subiu para 169.106. Já o número de óbitos das últimas 24 horas foi de 67 vítimas.

16h45 (CET) Bolívia anuncia recorde diário de óbitos (78)

A Bolívia declarou hoje um novo recorde diário de mortes por covid-19, com 78 óbitos, e já ultrapassou as mil infeções por dia no país, de acordo com as autoridades bolivianas.

O total de mortes por covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, chegou a 1.201 desde que os primeiros casos foram detetados no país em março passado, de acordo com o Ministério da Saúde boliviano. Já o número de pessoas infetadas no país é de 34.227, entre os cerca de onze milhões de habitantes, e neste momento estão a ser registados mais de mil casos de infeções pelo vírus SARS-CoV-2 por dia.

16h20 (CET) Portugal regista mais oito mortes e 328 casos

Portugal regista hoje mais oito mortes causadas pela covid-19 do que na quarta-feira e mais 328 infetados, cerca de 83% dos quais na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Já se encontra disponível o relatório de situação de hoje, 2 de julho, que pode ser consultado integralmente em...

Publiée par Direção-Geral da Saúde sur Jeudi 2 juillet 2020

De acordo com o boletim epidemiológico da DGS, o número de mortos relacionadas com a covid-19 ascende a 1.587, enquanto os casos desde o início da pandemia totalizam 42.782 infetados.

15h50 (CET) Atividade industrial no Brasil começa a recuperar

A produção industrial brasileira cresceu 7% em maio face ao mês de abril, devido à retoma da atividade económica e ao regresso dos trabalhadores às fábricas após medidas de combate à covid-19, revelou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O crescimento da produção industrial brasileira não foi suficiente para reverter a queda de 26,3% acumulada nos meses de março e abril, quando o país sentiu os efeitos das medidas de isolamento social decretadas por governo regionais para impedir a propagação da covid-19.

15h25 (CET) Itália não exclui cenário de segunda vaga

O ministro da Saúde de Itália, Roberto Speranza, admitiu hoje uma segunda vaga da pandemia de covid-19 no país, defendendo limitações aos viajantes de países fora da União Europeia face ao risco de novos contágios. com a prevenção de novos contágios.

“A comunidade científica não descarta [uma segunda vaga]. Esperamos que não aconteça, mas, perante o risco, devemos manter as regras de precaução, ou seja, usar máscara, evitar ajuntamentos e lavar as mãos”, frisou, em entrevista à RAI.

14h55 (CET) Cabo Verde supera os 1300 casos de infeção

O Ministério da Saúde de Cabo Verde confirmou hoje mais 34 casos positivos do novo coronavírus, dos quais 32 na ilha de Santiago, elevando, assim, o total para 1.301 infeções desde 19 de março.

Desse total destacam-se 655 casos ativos, em isolamento, dois doentes transferidos para os seus países e 15 óbitos.

14h40 (CET) Pandemia totaliza mais de 516 mil óbitos

A pandemia do novo coronavírus já fez mais de 516 mil mortos e infetou mais de 10,7 milhões de pessoas em todo o mundo desde dezembro.

De acordo com os dados recolhidos pela agência de notícias francesa AFP até às 11:00 de Lisboa, já morreram pelo menos 516.369 pessoas e há mais de 10.716.650 infetados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan.

14h15 (CET) Irão ultrapassa os 11 mil mortos desde o início da pandemia

O número de mortos por covid-19 no Irão ultrapassou os 11.000 mortos, de acordo com os números anunciados esta quinta-feira pelo Ministério da Saúde iraniano. "Nas últimas 24 horas, perdemos 148 dos nossos compatriotas infectados com covid-19", disse à televisão estatal a porta-voz do Ministério da Saúde, Sima Sadat Lari, em Teerão.

Isto eleva o número de mortes desde o início da pandemia para 11.106 mortes, de um total de 232.863 casos confirmados de infeção (mais 2.652 do que no dia anterior) no país.

13h40 (CET) Fernando Medina garante convergência com o governo

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, assegurou hoje "convergência total" com o governo no combate à covid-19, recusando qualquer "fissura" pelas críticas feitas às chefias na área da saúde sobre o controlo dos surtos na região de Lisboa e Vale do Tejo.

TVI Pandemia Covid AML 30 Junho

Análise à situação da pandemia de Covid19 na região de Lisboa. Foi este o tema do programa desta semana. Todas as segundas-feiras, na TVI24.

Publiée par Fernando Medina sur Mardi 30 juin 2020

12h55 (CET) Novak Djokovic com teste negativo

O tenista sérvio Novak Djokovic e a sua mulher, Jelena, anunciaram através da sua assessoria de imprensa terem tido testes negativos à covid-19, depois de ambos terem contraído a infeção na sequência do torneio Adria Tour, organizado pelo líder do ranking mundial e que acabou por resultar em vários casos entre tenistas do circuito mundial.

12h30 (CET) Alemanha soma já mais de 195 mil casos

A Alemanha anunciou hoje mais 503 casos de contágio com o novo coronavírus. De acordo com os dados do Instituto Robert Koch, o país já contabiliza um total de 195.228 casos desde o início da pandemia, dos quais mais de 180 mil foram já declarados curados. Quanto a óbitos, as autoridades alemãs confirmaram mais nove vítimas, elevando assim o total para 8.994.

Outras notícias do dia:

A Índia declarou ter ultrapassado a marca dos 600 mil casos desde o início da pandemia, ao registar agora oficialmente 604.641 casos, acrescentando nas últimas 24 horas 19.148 infetados por covid-19.

O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, assegurou não ter problemas em usar uma máscara para proteção do contágio do vírus SARS-CoV-2, caso as circunstâncias o venham a exigir. A declaração ocorreu num dia em que o país registou 706 mortes e mais de 48 mil infetados.

O Brasil superou esta madrugada a fasquia das 60 mil mortes devido ao novo coronavírus, depois de as autoridades brasileiras terem declarado mais 1.038 mortos e 46.712 novos casos nas últimas 24 horas. O país soma já 60.632 óbitos e 1.448.753 infetados desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde mexicanas confirmaram a morte de mais 741 pessoas devido à covid-19 nas últimas 24 horas, além de mais de cinco mil novos casos.

Na Nova Zelândia, o ministro da Saúde, David Clark, apresentou a demissão após estar no centro das críticas por ter violado o confinamento imposto devido à covid-19, anunciou a primeira-ministra, Jacinda Ardern.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos admitam que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro.

O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida. O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos.

Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença.

De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março.

Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica. As fronteiras abriram e as viagens de férias estão a levantar receios de uma nova vaga de contágios.