Última hora
This content is not available in your region

Números da Covid-19 multiplicam-se nos EUA e México

euronews_icons_loading
Números da Covid-19 multiplicam-se nos EUA e México
Direitos de autor  Damian Dovarganes/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O árduo trabalho de quem esteve e está na linha da frente do combate contra a Covid-19 é traído pela inação de alguns governos. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), numa altura em que o número global de casos identificados supera os 13 milhões, é preciso falar em responsabilidades políticas.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, veio sublinhar que "a pandemia só vai piorar" caso "os governos não comuniquem de forma clara com os cidadãos sobre a estratégia para travar as transmissões e salvar vidas".

Nos Estados Unidos, a Califórnia registou perto de 9 mil novos casos no espaço de um dia. O governador Gavin Newsom voltou a ordenaro encerramento de restaurantes, bares, cinemas, entre outros.

Tudo indica que o Estado do Texas siga o mesmo caminho, depois do agravamento da situação também na Flórida e no Arizona, onde os hospitais estão na iminência do colapso.

Num continente americano que se tornou no epicentro da pandemia, o México assume agora o quarto balanço mais elevado de mortes, mais de 35 mil. Na Cidade do México, as autoridades estão a preparar um isolamento focado nas zonas mais problemáticas.

As medidas mais rigorosas estão de novo a ser implementadas também em Hong Kong, onde restaurantes e ginásios têm de fechar portas e as multas para quem for apanhado sem máscara nos transportes públicos ultrapassam os 500 euros.