Última hora
This content is not available in your region

Bolsonaro: "mais cedo ou mais tarde todos vão ser infetados"

euronews_icons_loading
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro   -   Direitos de autor  Eraldo Peres/Copyright 2018 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Para o presidente do Brasil é inevitável. Mais tarde ou mais cedo, quem vive em sociedade vai ser contaminado, declarou Jair Bolsonaro em mais um encontro com populares no Palácio da Alvorada.

"Quem está vivendo em sociedade, mais cedo ou mais tarde vai pegar. Não tem forma de evitar as mortes relacionadas com isso. No Brasil ninguém morreu por falta de atendimento hospitalar, pelo menos de que eu tenha conhecimento", declarou.

Ninguém morreu por não ter tido atendimento médico mas, de acordo com o jornal Folha de São Paulo, a taxa de sobrevivência nos hospitais públicos é 50 por cento inferior à registada nos hospitais privados. Em média, 51% dos pacientes internados em unidades de saúde privadas sobrevivem. Nos hospitais do Estado, a sobrevivência é de apenas 34%.

De quarta para quinta-feira, o Brasil registou mais 1.311 óbitos para um total de 84.082.

Houve mais 59.961 novos contágios. O país contabiliza mais de dois milhões e duzentos mil casos desde o início da pandemia.

O Brasil é o segundo país mais atingido do mundo. O deficiente sistema de saneamento básico e o acesso limitado a água dá abertura para o coronavírus proliferar. Na favela da Rocinha, uma das maiores do Brasil, um grupo de residentes protestou por não ter tido acesso a água durante nove dias.

Para ajudar os residentes, a Cruz Vermelha enviou milhares de garrafas de água e conjuntos de limpeza.