Última hora
This content is not available in your region

Itália assinala os 40 anos do massacre de Bolonha

euronews_icons_loading
Arquivo
Arquivo   -   Direitos de autor  euronws
Tamanho do texto Aa Aa

Bolonha e Itália não esquecem aquele que foi um dos piores ataques terroristas de sempre no país.

Este domingo, devido à pandemia de Covid-19, uma cerimónia sóbria assinalou os 40 anos do ataque na estação ferroviária de Bolonha que ceifou a vida a 85 pessoas e feriu outras duzentas pessoas.

O relógio da estação marca 10 horas e 26 minutos desde 1980, momento em que uma mala carregada com dinamite rebentou semeando a morte e a destruição.

Apesar de terem sido condenados vários membros do grupo neofascista Núcleo Armado Revolucionário, nunca se conheceu quem ordenou e financiou o ataque. Há pistas que levam a crer no envolvimento da loja maçónica P2.

Um dos responsáveis Vincenzo Vinciguerra, atualmente a cumprir perpetua, tinha referido em tribunal a existência de uma organização oculta dentro do estado com ligações aos serviços secretos e à NATO.

Presidente, primeiro-ministro e membros da classe política são favoráveis à reabertura das investigações para se conhecer toda a verdade.