Última hora
This content is not available in your region

Navalny chegou a Berlim em condição "estável"

euronews_icons_loading
Navalny chegou a Berlim em condição "estável"
Direitos de autor  AP/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Alexei Navalny chegou a Berlim pouco antes das 9 horas da manhã e, segundo a equipa médica, o seu estado era "estável".

Navalny está a ser submetido a exames médicos e o Hospital da Charité, onde foi internado, diz que só dará informações após a conclusão de todos os exames.

Segundo a ONG "Cinema For Peace", responsável pela transferência do opositor russo para a Alemanha, os médicos do hospital de Omsk, na Rússia, começaram por alegar que o doente estava muito instável para a viagem e só depois da insistência da família, acabaram por autorizar a saída.

Depois disso, ainda foram precisas sete horas para que o avião deixasse a Rússia.

Os familiares e os apoiantes de Alexei Navalny suspeitam de envenenamento e acusam as autoridades russas de fazerem tudo para retardar a ida do paciente para a Alemanha de forma a deixar passar o tempo suficiente para que desapareçam os vestígios do veneno no seu corpo.

Moscovo nega qualquer envolvimento político e diz que se trataram de decisões puramente médicas.

Alexei Navalny sentiu-se doente durante um voo entre a Sibéria e Moscovo e foi hospitalizado na capital russa. Agora está a ser tratado no hospital com um grande historial de assistência a líderes internacionais e dissidentes políticos.

Como muitos outros políticos da oposição na Rússia, Navalny tem sido frequentemente detido pelas forças policiais e assediado por grupos leais ao Kremlin. Em 2017, foi atacado por vários homens que lhe atiraram antisséticos à cara, danificando-lhe um olho. No ano passado, enquanto cumpria uma pena de prisão por violação dos regulamentos de protesto, foi levado à pressa para um hospital. Na altura, A sua equipa também suspeitou de envenenamento. Os médicos, no entanto, disseram que teve uma reação alérgica grave e mandaram-no de volta para a prisão no dia seguinte.