Última hora
This content is not available in your region

Escolas reabrem por toda a Europa

euronews_icons_loading
Escolas reabrem por toda a Europa
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhões de crianças regressam à escola esta terça-feira mesmo apesar da ameaça da Covid-19.

Após meses em casa, o regresso à escola representa um passo em frente em direção à normalidade, mesmo que envolva a utilização de máscara e medidas de distanciamento.

Para muitos jovens e crianças, a excitação do primeiro dia de aulas foi ainda mais intensa do que o habitual.

"É bom ver os meus amigos de novo. Mas não me apetece muito ir para a escola", afirma Alesso Schetz, um aluno dos Países Baixos.

"O meu miúdo está excitado, está feliz e não tem problemas. Eu é que estou apreensiva. Estou com medo do que pode acontecer mas menos receosa do que em junho..." afirma Souad Ouhabi, mãe de Souleyman que começa a escola esta terça-feira em França.

Na Bélgica e em França, lavar as mãos com frequência é obrigatório e os professores e alunos a partir dos 11 anos têm que usar máscara o dia todo, mesmo no recreio e nas aulas de música.

A utilização de máscara coloca problemas acrescidos.

"É claro que vai ser difícil. Falar com os estudantes sem poder mostrar-lhes um sorriso, é algo difícil para as crianças" confessa Lise Genrault, uma professor primária numa escola em França.

Regras idênticas estão em vigor nos Balcãs enquanto outros países são mais flexíveis quanto às máscaras.

Na República checa, por exemplo, as máscaras só são obrigatórias nas escolas em Praga.

Já na Rússia as máscaras não são obrigatórias mas os estudantes têm que tirar a temperatura todos os dias à entrada na escola.

No Reino Unido cerca de 40% das escolas em Inglaterra e no País de Gales reabriram com intervalos escalonados e os alunos em grupos organizados por classe ou ano.

As máscaras são obrigatórias nas áreas comuns dos liceus situados em áreas com taxas de infeção elevadas.

Muitos encarregados de educação sentem-se nervosos porque podem ser multados se se recusarem a enviar os filhos para a escola.

Entretanto, o debate em torno das máscaras prossegue. A partir desta terça-feira são obrigatórias nos locais de trabalho em França.

Também são obrigatórias em vários locais na República Checa embora de momento os restaurantes e locais de trabalho se encontrem excluídos da medida por enquanto.

A Suécia por sua vez recusa-se a recomendar a utilização de máscaras. Apenas um número reduzido de pessoas utiliza máscara nas ruas e locais públicos.

De recordar que a Suécia nunca encerrou as escolas, empresas, cafés e restaurantes ao contrário de muitos outros países na Europa a braços com um número elevado de casos - os dados da Suécia sugerem agora uma diminuição dos casos.