Última hora
This content is not available in your region

Macron apela a instalação rápida de Governo de missão no Líbano

euronews_icons_loading
Macron apela a instalação rápida de Governo de missão no Líbano
Direitos de autor  GONZALO FUENTES/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Emmanuel Macron apelou à rápida instalação de um Governo de missão no Líbano. Esta é a segunda vez que o presidente francês visita o país no rescaldo da explosão de 04 de agosto que destruiu grande parte de Beirute e matou 190 pessoas.

O chefe de Estado gaulês foi recebido pelo homólogo libanês Michel Aoun, poucas horas depois de o diplomata Mustapha Adib ter sido confirmado como o novo primeiro-ministro do país, pelo Parlamento.

Emmanuel Macron sublinhou que não lhe cabe "aprovar ou comentar" pois era "a soberania libanesa que estava em jogo". O presidente francês pretendeu assegurar-se "que vai mesmo ser constituído um Governo de missão, o mais rapidamente possível, para implementar as reformas necessárias, ao serviço dos libaneses".

O objetivo da visita de Macron ao Líbano é ajudar o país a sair do marasmo em que mergulhou após a explosão. O seu envolvimento granjeou-lhe elogios e críticas.

Ainda na noite de segunda-feira, o presidente francês visitou diva Fairouz, símbolo nacional do Líbano e tida como uma figura unificadora no país. Mais tarde, encontrou-se com o antigo primeiro-ministro Saad Hariri.

Esta terça-feira, Emmanuel Macron visita os quarteirões devastados pela explosão e participa nas celebrações do primeiro centenário da nacionalidade libanesa, proclamada em 1920 pelo general francês Henri Gouraud.