Búlgaros contestam projeto de Constituição do governo

Protesto em Sofia
Protesto em Sofia Direitos de autor Valentina Petrova/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Manifestações contra a corrupção e o primeiro-ministro Boiko Borissov duram há dois meses. Protestos desta quarta-feira marcados por confrontos junto ao Parlamento

PUBLICIDADE

A capital da Bulgária voltou a ser palco de protestos antigovernamentais, marcados por confrontos entre manifestantes e as forças de segurança em frente ao Parlamento, enquanto na Assembleia os deputados estudavam o projeto da nova Constituição defendida pelo executivo.

Os búlgaros manifestam-se diariamente há dois meses para denunciar a corrupção endémica e pedir o afastamento do primeiro-ministro Boiko Borissov e do procurador-geral, acusados de estar "ao serviço dos oligarcas".

Hristo Panchugov, professor de Ciência Política na Nova Universidade Búlgara, em Sofia:"Até ao momento, o primeiro-ministro não respondeu às questões dos manifestantes, acerca da influência dos oligarcas, com base em fotografias nas quais aparece o primeiro-ministro, questões acerca de quem dirige na realidade o governo. Até que sejam respondidas os protestos vão continuar."

Segundo os observadores, a proposta constitucional feita pelo governo tem como objetivo principal manter os conservadores no poder até ao fim do mandato, em março de 2021. 

Desde o início da crise já se demitiram cinco ministros. 

A oposição diz que é também uma tentativa para limitar os poderes do presidente búlgaro, próximo dos rivais socialistas do centro-direita encabeçado por Borissov.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições búlgaras não parecem oferecer saída para a crise

Búlgaros tentam estabilidade política na quinta eleição em dois anos

Agricultores espanhóis bloqueiam estradas e autoestradas com tratores, pneus e ramos de árvores