Última hora
This content is not available in your region

Tensão entre a Danone e moradores de Volvic

euronews_icons_loading
Tensão entre a Danone e moradores de Volvic
Direitos de autor  THIERRY ZOCCOLAN/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Na região francesa de Volvic, as secas têm gerado tensões sobre a partilha dos recursos hídricos entre a Danone e os habitantes. Os moradores acusam a multinacional que comercializa uma água com o nome da região de ser a responsável pela escassez de um bem essencial

A empresa de aquicultura de Saint-Genès l'Enfant teve de fechar em 2018 devido à falta de água. O proprietário, Edouard de Féligonde, aponta o dedo à Danone, autorizada a extrair até 2,79 milhões de metros cúbicos de água por ano. "A montante existem poços. É onde a Volvic extrai a água. Portanto, é o bombeamento que está na origem da queda catastrófica do fluxo na propriedade. O problema é que esse bombeamento foi feito sem nenhum estudo de impacto e negando totalmente os direitos dos moradores", sublinha.

Este proprietário apresentou uma ação judicial contra a Danone e o Estado francês, que lhe concedeu a licença de exploração.

A preocupação com a gestão dos recursos hídricos é compartilhada por muitos moradores locais. Há alguns meses, foi criada a associação PREVA. "Gostaríamos que o Estado retomasse o controlo e realizasse uma investigação para analisar a saúde do lençol freático, para ver se ele recarrega de forma adequada e sustentável. Se esse não for o caso, teríamos que imaginar, juntamente com o Estado e todas as partes interessadas, um modo de gestão mais durável, mesmo que isso signifique rever os consumos de uns e outros", explica o presidente da PREVA, Jacky Massy.

A empresa que produz a água de Volvic diz já estar a fazer esforços, principalmente em tempos de seca, mas está disponível para discutir. "Estamos constantemente a monitorar a evolução deste recurso hídrico. Se olharmos para a nossa autorização, estamos cerca de 10% abaixo do nosso direito de extração, e no último período estival, reduzimos a quantidade de água retirada em cerca de 10 a 16 % ", realça Cathy Le Hec, responsável da Danone.

Os moradores locais esperam agora sentar-se à mesa das negociações, com a Danone e representantes do governo.

"As tensões em torno da partilha da água entre habitantes, empresas e agricultores estão longe de ser um problema apenas de Volvic ou da França. Discussões sobre esta questão estão a surgir em todo o mundo, já que se espera que o aquecimento global leve a secas mais longas e frequentes", conclui a correspondente da Euronews, Raphaëlle Vivent.