Última hora
This content is not available in your region

Braço-de-ferro político origina estado de emergência em Madrid

euronews_icons_loading
Madrid
Madrid   -   Direitos de autor  Manu Fernandez/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O governo espanhol decretou o estado de emergência para Madrid e oito municípios da região da capital, para poder avançar com as restrições de movimento definidas para tentar conter a segunda vaga da pandemia de coronavírus.

Espanha registou nas últimas 24 horas quase 13.000 novos casos, 2256 dos quais na região de Madrid.

O estado de emergência permite ao governo central ultrapassar o braço-de-ferro legal com as autoridades da capital.

Salvador Illa, ministro espanhol da Saúde:"O presidente do governo regional de Madrid decidiu não fazer nada. Na última semana, morreram 63 pessoas na região de Madrid devido à Covid-19. Há atualmente 3361 pessoas hospitalizadas na região, 498 das quais nos cuidados intensivos, a lutar entre a vida e a morte. Podemos cruzar os braços ou parar o vírus."

França voltou a registar um novo recorde no número de contágios, mais de 20.000 em 24 horas, e 62 mortes. Mas a decisão de estender o alerta máximo a várias cidades para além da capital não agradou a donos de bares e ginásios, obrigados a fechar temporariamente as portas.

O gerente de uma sala de desporto diz que "as pessoas estão a anular as inscrições, mas será precisa a sua solidariedade", porque senão os negócios "vão morrer".

A dona de um restaurante em Lyon diz que "falam numa segunda vaga, mas ela também existe ao nível económico e psicológico, com impacto para muitas pessoas". E acrescenta que "há mortos do vírus, mas também haverá mortos e pessoas afetadas por todas as restrições que impedem de viver".

Com o número de infeções diárias a ultrapassar as 4000 pelo segundo dia consecutivo, a Alemanha estabeleceu um prazo de dez dias para a situação melhorar, caso contrário o país assistirá a novas restrições. Os principais focos de alarme são Berlim e Frankfurt.

A chanceler alemã, Angela Merkel afirmou que "a principal prioridade é, se possível, não ter de reduzir a economia e vida pública novamente para os níveis que foram necessários na primavera".

Com 375 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, a República Checa ultrapassou a Espanha e a França e é agora o país da União Europeia com a taxa mais elevada de contágio.

O governo respondeu com a entrada em vigor de uma série de restrições para tentar conter o novo pico da pandemia, como a proibição de todas as atividades desportivas em recintos cobertos, capacidade e horários restritos para bares e restaurantes e o fecho temporário de jardins zoológicos, cinemas e museus.